Foto: Paulo Whitaker / Reuters

A América do Sul é rubro-negra!

O Furacão começou controlando a partida e a primeira chance foi aos cinco minutos. Nikão cobrou falta e Pablo desviou de cabeça, com perigo, por cima do gol.

Um minuto depois, Renan Lodi recebeu na esquerda, fintou dois marcadores e arriscou o chute. A bola saiu fraca, à direita.

E a pressão seguiu. Aos sete minutos, Marcelo recebeu de Pablo e arriscou de perna esquerda, por cima do gol.

Aos 13’, Barrera recebeu passe da direita e bateu de primeira, para fora.

Cinco minutos depois, mais uma chance rubro-negra. Veiga cobrou falta próximo da meia-lua e o goleiro praticou a defesa.

Téo Gutiérrez tentou o chute da entrada da área aos 20’, mas Santos estava bem posicionado para praticar firme defesa.

Aos 23’, Lucho cobrou falta pelo lado direito e a defesa afastou. Lodi pegou a sobra e bateu com categoria, para grande defesa de Viera.

E a pressão surtiu efeito aos 26 minutos. Bola roubada no meio-campo, Pablo tabelou com Veiga e ficou cara a cara. O chute no canto até tocou nas mãos do goleiro, mas morreu mesmo no fundo das redes para as mais de 40 mil vozes explodirem na Baixada. 1 a 0!

O time rubro-negro diminuiu o ritmo e controlou a partida defensivamente. O Junior Barranquilla tocou a bola no campo de defesa e pouco conseguiu agredir até o final do primeiro tempo.

Téo Gutiérrez deixa tudo igual no segundo tempo

 

Na segunda etapa, o Junior subiu a marcação e com apenas 30 segundos o Furacão já estava na cara do gol, novamente com um lindo passe de Veiga para Pablo. Ele bateu cruzado e o goleiro tirou com a ponta dos dedos.

O Barranquilla assustou aos oito minutos. Díaz dominou na esquerda, fez a finta e bateu forte. Santos espalmou para escanteio.

Aos 12 minutos, o Junior Barranquilla empatou com Téo Gutiérrez, após cobrança de escanteio.

Dois minutos depois, Léo Pereira ficou no chão após dividida no meio campo e o time adversário teve boa chance em contra-ataque. O chute cara a cara com Santos saiu pela linha de fundo.

Santos praticou boa defesa também em chute de Díaz, aos 19’.

Aos 22’, Pablo recebeu na meia-lua da grande área, fez a finta e bateu de perna esquerda. A bola desviou na defesa e saiu.

A reta final da segunda etapa foi bastante disputada e o time visitante chegou mais ao ataque.

Aos 46’, Veiga cobrou falta da esquerda e Nikão cabeceou para defesa do goleiro.

Nikão arrematou bem aos 48’ e a bola passou muito perto, mas foi para fora. Com o empate no tempo normal, a decisão foi para a prorrogação.

Prorrogação

Rony ganhou na velocidade aos dez minutos da primeira parte da prorrogação, invadiu a área e cruzou, mas não apareceu ninguém para desviar.

Aos três minutos do segundo tempo da prorrogação, González foi derrubado por Santos dentro da área e a arbitragem marcou pênalti. Barrera isolou!

Aos oito, Bergson recebeu na direita e arriscou de longe. O goleiro espalmou para escanteio.

Mas como o placar não foi alterado, a decisão foi mesmo para as cobranças de pênaltis.

Nos pênaltis, Furacão conquista o título!

Nas penalidades, o Furacão marcou quatro vezes e o Júnior Barranquilla, três. TH marcou o gol do título na última cobrança! Furacão CAMPEÃO DA CONMEBOL SUL-AMERICANA!

Fonte: Site oficial do Athletico Paranaense