Abertura dos Jogos no Maracanã promete tecnologia e diversidade da cultura brasileira

O Estádio do Maracanã já está pronto para receber a abertura dos Jogos Olímpico nesta sexta-feira (5), a partir das 20h. A cerimônia vai durar cerca de três horas e reunirá 12 mil atletas de 206 delegações, 5 mil voluntários e 45 chefes de Estado.

O espetáculo será acompanhado por, pelo menos, três bilhões de espectadores no mundo todo. Somente dentro do estádio são esperadas 45 mil pessoas.

A maior parte da cerimônia ainda é segredo, mas a ideia dos  renomados diretores responsáveis pelo evento Fernando Meirelles, Daniela Thomas e Andrucha Waddginton é transformar o estádio do Maracanã em um grande teatro.

Ao todo, a festa deve reunir 200 dançarinos profissionais, 300 produtores, e mais de 500 ritmistas das 12 escolas de samba do Grupo Especial.

Conforme vazou no último domingo (31) durante o ensaio geral da cerimônia, a festa terá como tema a formação do Brasil, dividida em três partes:  o jardim, simbolizando a natureza; o brasileiro, através do seu sorriso e carisma; e a inventividade, que vai contar até com o voo de uma réplica do avião 14-Bis, criado por Santos Dumont, em 1906.

A primeira parte da cerimônia trará as apresentações artísticas, representando a cultura brasileira, onde na música o Brasil vai ser representado pela música popular brasileira, o samba e o funk, com participações confirmadas dos cantores Caetano Veloso, Gilberto Gil, Anitta, Elza Soares, Karol Conka e Mc Sofia.

Ainda vão passar pelo gigante palco de 128 metros por 63 metros, as modelos internacionais Gisele Bündchen e Lea T.

Em seguida, a solenidade seguirá com o desfile das delegações e voluntários, os discursos do presidente do Comitê Olímpico Internacional (COI), Tomaz Bach, e do presidente do Comitê Olímpico Brasileiro (COB) e do Comitê Rio 2016, Carlos Arthur Nuzman. Por último, falará o presidente interino Michel Temer declarando a abertura dos Jogos.

A cerimônia se encerra com o revezamento da Tocha e o acendimento da pira olímpica, que ficará pela primeira vez na história fora do estádio, na Candelária, no Centro do Rio. Como ela será acessa e quem vai acender a pira ainda são um mistério. O mais cotado para o feito é o ex-jogador de futebol Pelé.

Faz parte ainda da estrutura da festa no estádio 106 projetores, 3.400 refletores, que prometem modernas projeções em 3D, além de 20 quilômetros de cabos de fibra ótica, 42 mil peças de material pirotécnico e 500 quilos de confete cenográfico.