Print

Agosto Azul na Boca Maldita incentiva o homem a cuidar da saúde

Nesta quinta (24/8) e sexta-feira (25/8), a Secretaria Municipal de Saúde promove a mobilização Agosto Azul, na Boca Maldita, das 9h às 17h. Serão dois dias de orientações e prestação de serviços de prevenção às causas de adoecimento e morte de pessoas do sexo masculino, especialmente de 20 a 59 anos, faixa etária em que os homens costumam deixar a saúde em segundo plano.

Os serviços são gratuitos e prestados em oito tendas dispostas na Boca Maldita. Os participantes receberão orientações sobre atividades físicas e nutricional; poderão medir o índice de glicemia e checar a pressão arterial; receber orientações sobre a saúde do trabalho e saúde mental (depressão, alcoolismo, uso de drogas); ter orientações quanto à saúde bucal para detecção de lesões indicativas de neoplasias ou doenças sexualmente transmissíveis (DSTs), sobre os riscos do tabagismo e como participar do programa para parar do fumar; e fazer testes rápidos de HIV.

“Culturalmente, para o homem, procurar ajuda em saúde é sinal de fraqueza. Queremos mostrar que ao se cuidar e não hesitar em procurar ajuda é possível viver melhor”, destaca o coordenador da Saúde do Homem da Secretaria Municipal da Saúde, Homero Luis de Aquino Palma. “Nosso intuito é que o Agosto Azul seja um momento de alerta.”

Doenças cardiovasculares

As causas mais comuns de adoecimento e morte dos homens são doenças cardiovasculares (nos casos extremos, enfarte e acidente vascular cerebral, o AVC), que têm como precursores hipertensão, diabete e obesidade.

Os homens também são as vítimas mais frequentes de acidentes de trânsito e de trabalho, suicídios e crimes. “A maioria dos casos de doença e morte de homens seriam modificáveis ou até evitadas com diagnóstico precoce, medidas de prevenção, precaução e autocuidado”, explica Palma.

Estão envolvidos na ação do Agosto Azul na Boca Maldita médicos, enfermeiros, auxiliares de enfermagem, fisioterapeutas, psicólogos, dentistas, educadores físicos da Secretaria Municipal de Saúde, além de profissionais da Secretaria de Estado da Saúde (Sesa), do Conselho Municipal de Saúde e estudantes universitários.

Números

No Brasil, as mulheres vivem, em média, sete anos a mais do que os homens; vão mais ao médico (78% da população feminina esteve em pelo menos uma consulta em 12 meses, contra 63,9% dos homens); e não esperam os sintomas ficarem críticos para marcar uma consulta.

Elas também são mais cuidadosas no ambiente de trabalho. Pesquisa do IBGE divulgada ano passado aponta que 70% dos trabalhadores que se envolvem em acidentes de trabalho são homens. No trânsito, a Organização Mundial da Saúde aponta que, a cada dez mortes ao volante, oito são de pessoas do sexo masculino.

O Agosto Azul foi instituído no Paraná em 2012 pela Lei 17.099/2012.