Amor: este desconhecido tão desejado!

Considerando que junho é o mês dos namorados e muitas pessoas já estão aflitas que ainda não encontraram um amor, dedico este texto a todos aqueles que amam e nem sempre se encontram em pares.
Cada vez mais vivemos numa sociedade frenética, corremos o tempo todo atrás de algo. Atrás de uma formação, de uma carreira, de status, de dinheiro e sim, de amor! Porém, muitas pessoas esquecem que o amor precisa de tempo e dedicação para acontecer na plenitude, ainda não o temos nas prateleiras de supermercado. Confesso que o ser humano até tentou facilitar essa procura através da tecnologia com a ajuda de aplicativos para conhecer as pessoas sem que haja muito investimento emocional nesta procura. Afinal, é mais fácil você dar um like numa imagem, do que se arrumar, sair, gastar e talvez, conhecer alguém!
Estou apenas fazendo uma analogia, não estou me opondo em momento algum a esses aplicativos. Apenas quero conscientiza-los que quando algo é importante ele requer investimento emocional, desejo, tempo, renuncia, dedicação!
As pessoas falam tanto que não é fácil encontrar alguém, mas eu as questiono: Como você está buscando? O que você busca em alguém? O que você oferece a alguém? Porém, muitas destas pessoas que buscam desesperadamente por um amor, não conseguem responder a essas simples perguntas.
Como encontrar o que nem sabemos procurar?
Enquanto você não souber o que busca, o que deseja, nada daquilo que encontrar terá valor.
Muito se fala em amor. Ame a si mesmo, ame o próximo, ame os animais… mas afinal, o que é esse tal de amor?
Quem é este desconhecido tão desejado que tanta angustia causa naqueles que o procuram desesperadamente?
Enquanto houver uma busca incansável por algo que angustia tanto sem que nem ao menos saibamos o que é, continuará este mal-estar no sujeito que precisa de algo para preencher o seu vazio que ele mesmo não identifica.
É necessário aprender a não envolver ninguém na sua bagunça emocional, se você está ferido, magoado ou ainda preso a lembranças de outros relacionamentos, então, você não está inteiro para um novo amor. Primeiro arrume a casa, cure sua dor, se fortaleça, resolva suas outras relações para então abrir as portas da sua vida emocional para uma nova pessoa e ai sim, começar uma nova história.
O amor é tão desconhecido que existem ainda aqueles que o buscam em um estranho a cada noite, a cada fim de semana, e quanto mais procuram pelo amor, mais se frustram com o pseudo-amor que encontram.
Há sempre uma outra experiência, um outro dia, um novo amor…
Afinal, quem é este desconhecido tão desejado?

Diretora técnica da Conecta Vitta Clinic, Psicóloga Clínica, Hospitalar e Organizacional, Coach de Emagrecimento e de Relacionamento.