Apesar da velocidade dos reparos, mais equipes reclamam das instalações da Vila Olímpica

Cerca de 650 operários, entre eletricistas, bombeiros hidráulicos e pedreiros, entre outros, estão trabalhando em turno de 24 horas nos reparos dos apartamentos destinados às delegações olímpicas que estão na cidade para a Rio 2016. Apesar do esforço, contudo, nesta terça-feira, 26, mais delegações reclamaram do estado das unidades.

Muitos apartamentos apresentam falta de ligações elétricas, instalações de TV, ralos entupidos e diversos problemas hidráulicos, além de vazamentos e sujeira. Em um tom nada diplomático, o chefe da delegação argentina, Diego Gusman, disse acreditar até em boicote dos operários responsáveis pelas obras. Ele disse temer que essa má impressão possa prejudicar a imagem dos Jogos Olímpicos do Rio.

“As coisas parecem que foram feitas às pressas e com materiais de má qualidade, acreditamos até que tenha havido sabotagem”, disse Gusman, que questionou ainda se o consórcio contratado chegou a fazer inspeções antes da entrega das unidades.

O Comitê Olímpico da Bielorússia foi outro a não poupar críticas às condições das instalações, que foram consideradas “insalubres”. Assim como aconteceu na véspera com a delegação australiana, a primeira reclamar de uma série de defeitos das unidades, parte dos atletas bielorussos está sendo acomodada em hoteis até que os reparos sejam concluídos. Os dirigentes bielorussos reclamam da falta de água quente nas instalações, mal funcionamento do sistema de esgoto, além da quantidade de sujeira em pisos, janelas e escadas.

O diretor de comunicação do Comitê Orgnizador, Mário Andrada, reconheceu os problemas, mas disse que a prioridade agora não é apontar culpados, mas resolver o que precisa ser feito. Segundo ele, a Vila dos Atletas vai ser entregue impecável antes do final de semana –  os jogos começam em 5 de agosto. Andrada disse também que é natural que um projeto dessa grandeza apresente problemas e que aqui não poderia ser diferente. Ele confirmou, ainda, que todos os comitês, apesar das reclamações, já voltaram à vila.

A Vila Olímpica foi entregue em 15 de junho, e é composta por 17 prédios de 31 andares, totalizando 3.604 apartamentos com capacidade para receber até 18 mil atletas e membros das equipes técnicas. Segundo o comitê, cerca de 700 atletas já estão instalados nas dependências. As unidades já começaram a ser vendidas para futuros moradores do local, o antigo Autódromo do Rio, em Jacarepaguá. A previsão é que os primeiros moradores recebam suas chaves já ao longo do ano que vem.