Após limpeza, calçadão da Rua XV Novembro está de cara nova

Munidos de uma motovarredeira, 30 vassouras, dez regadores com água reutilizada e 200 litros de sabão desengordurante neutro, 25 funcionários da Prefeitura de Curitiba fizeram nesta terça-feira (31) a lavagem do calçadão da Rua XV de Novembro. Atento ao trabalho, o prefeito Rafael Greca pediu aos participantes não esquecer de limpar nenhum cantinho daquela que também é chamada Rua das Flores. “Curitiba volta a ser Curitiba. Estamos fazendo um trabalho de revitalização deste espaço que une vários pontos da identidade cultural, do comércio e da nossa história”, disse Greca.

Ao iniciar a limpeza, liberando a água de um dos caminhões-pipa usados na ação, o prefeito deu o pontapé inicial, às 22 horas, ao trabalho de limpeza do piso de quase um quilômetro repleto de mosaicos de pinheiros, pinhas e pinhões. Greca salientou que a limpeza da cidade é prioridade de sua administração. “Em um País onde ocorre dengue, febre amarela, chikungunya e outras doenças temos que priorizar ações que garantam aos cidadãos qualidade de vida”, reforçou.

O prefeito lembrou ainda que, antes da ação de limpeza, a Fundação de Ação Social (FAS) fez um trabalho de serviço social forte de abordagem das pessoas em situação de rua. “Estamos fazendo um trabalho de acolhimento, inclusive vamos abrir, antes do inverno, um novo centro social na Rua Conselheiro Laurindo, a FAS SOS, bem como um Centro Psicossocial no antigo Laboratório Municipal, no Parolin”, disse Greca, ao lado do vice-prefeito, Eduardo Pimentel.

Cartões-postais

A luz dos postes republicanos, que dá aquele clima nostálgico e mágico à XV de Novembro, brilha na água que se espalha sobre o petit-pavé. As famosas pedrinhas brancas, que todos os dias recebem um vaivém apressado de pedestres, começam a aparecer ainda mais brancas.

Com o trabalho seguindo a partir da Rua Presidente Faria, a equipe varreu e lavou o calçadão até chegar à Praça Osório, em meio a vários cartões-postais. Locais que fazem parte do imaginário curitibano, como a Confeitaria das Famílias, o Bondinho de Leitura, o Palácio Avenida, a Boca Maldita e os inúmeros prédios com estilos neogótico, paranista e art noveau, iam se sucedendo nas seis quadras que compõem o trajeto.

Um carrinho elétrico foi usado para auxiliar na retirada do lixo. Tudo tinha que ser muito rápido e o veículo ecológico, por ser pequeno, tinha mobilidade suficiente para fazer o trabalho sem atrapalhar a equipe.

O secretário municipal de Meio Ambiente, Sérgio Tocchio, lembrou que a Prefeitura iniciou um cronograma de limpeza dos calçadões da cidade. “Toda semana, um calçadão será lavado. Estamos começando com a Rua XV e a ação segue na Barão do Rio Branco, na Comendador Araújo e na Jesuíno Marcondes.”

Tocchio também salientou que os equipamentos que compõem os calçadões estão sendo recuperados. “Estamos substituindo floreiras, trocando luminárias, podando árvores e, depois da limpeza, vamos restaurar o piso. É um trabalho que se estende por toda a cidade”, completou.

Comemoração

Entre a Rua Barão do Rio Branco e a Avenida Marechal Floriano Peixoto, em meio a prédios com estilo eclético e colunas de ferro com a inscrição da tradicional Fundição Mueller, a equipe se mantinha animada no trabalho e não se incomodava com as pessoas que, curiosas, faziam questão de parar para observar e parabenizar pelo trabalho. “A Rua XV estava precisando desta lavagem. Eu passo pelo calçadão todo dia, indo e vindo do trabalho, e não conseguia ver os desenhos. Está ficando lindo”, afirmou a atendente de hotel Rejane da Costa, 56 anos.

O casal Marcos Silva dos Passos, 57 anos, e Suzi Pozvski, 43 anos, também aprovou a ação. “É importante ver que a Prefeitura está cuidando da cidade. Parabéns ao prefeito Greca”, observou Passos.

Passando a pintura gigante que reproduz uma obra de Poty Lazarotto, uma parada um pouco mais demorada, afinal o calçadão se alarga. Na quadra, um trecho que forma quase uma praça dentro da Rua das Flores, o chafariz cercado por bancos e floreiras já tinha sofrido manutenção em uma ação ocorrida no dia 5 de janeiro. Segundo Edélcio dos Reis, diretor do Departamento de Limpeza Pública da Secretaria do Meio Ambiente, as flores também já foram trocadas.

Abordagem

Durante a ação da Prefeitura, o cenário na Rua das Flores passava longe da imagem diurna de pessoas tomando café, procurando promoção nas lojas populares ou, simplesmente, vendo o povo passar ou as figuras folclóricas. O número de moradores de rua é preocupante na madrugada. Durante a limpeza do calçadão, a equipe da FAS realizou um trabalho de abordagem com as pessoas em situação de rua convidando-as a aderir ao trabalho social da fundação. “Fazemos uma abordagem contínua e qualificada de orientação para garantir os direitos humanos dessas pessoas. Queremos que elas venham para nosso trabalho social que acontece dentro das unidades da fundação”, explicou Larissa Tissot, presidente da FAS.

A equipe da Prefeitura seguiu em ritmo intenso na penúltima quadra da Rua das Flores, famosa por suas mesinhas ao ar livre e cobertas pela característica estrutura de acrílico roxo que faz parte do mobiliário urbano implantado nos anos 1970. “Limpar a Rua XV de Novembro sempre é um trabalho especial, pois sabemos da importância do calçadão para a população”, salientou o gari Silvio Braz, que participou da equipe de limpeza. Na junção com a Travessa Oliveira Belo e a Rua Ébano Pereira, o trabalho continuava, circundando o Bondinho de Leitura.

Por volta de 1h30, já próximos ao gigantesco relógio alemão instalado em 1914, em plena Boca Maldita, os funcionários que participaram da lavagem do calçadão se voltaram para observar todo o trajeto feito em três horas e meia. O dever de missão cumprida podia ser visto no semblante de todos e, mesmo com o cansaço, o clima de comemoração se espalhou entre todos que tinham acabado de cumprir a missão de limpar um dos espaços públicos mais amados pelos curitibanos. “A gente realmente fica feliz com o trabalho realizado”, resumiu o gari Pedro Gonçalves Xoteslem.