Cerimônia de diplomação do presidente eleito, Jair Bolsonaro, no Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Presidente eleito do Brasil, Jair Bolsonaro foi diplomado, nesta segunda-feira (10), pelo Tribunal Superior Eleitoral e agora está apto para assumir o comando do Palácio do Planalto a partir do dia 1º de janeiro de 2019.

A diplomação, segundo a Constituição Federal, é obrigatória para que todos os eleitos possam tomar posse. O título atesta que o político cumpriu todos os requisitos previstos pela legislação eleitoral e, assim, pode exercer o mandato eletivo.

[themoneytizer id=”21651-2″]

Na cerimônia, além de Bolsonaro, o TSE também diplomou o vice-presidente eleito, General Hamilton Mourão.

Candidato pelo Partido Social Liberal, Jair Bolsonaro foi eleito em 2º turno com 57,7 milhões votos. Na campanha, Bolsonaro e Mourão apresentaram uma arrecadação de R$ 4,3 milhões, gastando pouco mais da metade deste valor, R$ 2,8 milhões. As contas foram aprovadas com ressalvas pelo TSE.

Após receber o diploma de presidente da República das mãos da presidente do TSE, ministra Rosa Weber, Bolsonaro fez um breve discurso, agradeceu o apoio da família e afirmou que a partir de 2019 o Brasil viverá “um novo tempo”.

“Senhoras e senhores, vivenciamos um novo tempo. As eleições de outubro revelaram uma realidade distinta das práticas do passado. O poder popular não precisa mais de intermediação. As novas tecnologias permitiram uma relação direta entre o eleitor e seus representantes. Nesse novo ambiente a crença na liberdade é a melhor garantia de respeito aos altos ideais que balizam a nossa Constituição”.

Ainda em seu discurso, o presidente eleito garantiu que a partir de 1º de janeiro governará “em benefício de todos sem distinção de origem social, raça, sexo, cor, idade, ou religião”.