Aproveite as férias para ver arte nos espaços da Fundação Cultural

Diversas exposições abertas nos espaços culturais e museus da Fundação Cultural de Curitiba são boas opções de programa para as férias.

O Solar do Barão abriga mostras de fotografia, gravura, desenho e histórias em quadrinhos. No Museu Municipal de Arte tem exposições que contemplam obras do acervo, arte digital, quadrinhos e instalações. Exposições de caráter histórico ocupam o Memorial de Curitiba e a Casa Romário Martins. Tem ainda uma mostra de arte de temas religiosos, em várias técnicas, em cartaz no Museu de Arte Sacra.

Solar do Barão

A exposição fotográfica Ser Passagem, de Estevan Reder, é uma das atrações no Solar do Barão. Conhecido pelas intervenções urbanas em várias capitais do Brasil e da América Latina usando a técnica de lambe-lambe, o artista traz para Museu da Fotografia oito imagens ampliadas.

O cotidiano das pessoas andando pelas ruas das diversas capitais do Brasil e da América Latina é o alimento substancial para a obra do fotógrafo.

A paisagem urbana também está presente na mostra retrospectiva do grupo de desenhistas Urban Sketchers, em cartaz no espaço da Gibiteca. Com curadoria de Simon Taylor, a exposição reúne os melhores trabalhos produzidos pelo grupo todos os sábados, em algum lugar da cidade, retratando paisagens, arquitetura, histórias e pessoas de Curitiba.

MuMA

O Museu Municipal de Arte (MuMA) apresenta O Circo, o Brinquedo e a Brincadeira, com obras dos acervos da Fundação Cultural de Curitiba.

Com curadoria e produção de Joseane Baratto, a mostra presta uma homenagem aos 40 anos do Circo da Cidade, com obras de Djanira, Haruo Ohara, Denise Roman, Lívio Abramo, Nilo Previdi, Raul Cruz, Maria Nicolas. Além da exposição a sala Célia Neves Lazarotto abriga espaço interativo para crianças com gibis para leitura local, tangran e outras brincadeiras.

Casa Romário Martins

A exposição Alceu Chichorro e a Cultura Material do Jornalismo Curitibano em Meados do Século 20 permanece na Casa Romário Martins. A mostra contem reproduções de 127 charges originais de Chichorro em nanquim sobre papel. O material é apresentado pela primeira vez ao público de Curitiba.

Por meio dos personagens Chico Fumaça, Dona Marcolina e Totó, publicados no jornal O Dia, o chargista descreveu a conjuntura política do Brasil antes do golpe militar de 1964 e as adversidades enfrentadas pelos brasileiros naquela época.

 

Exposições nos espaços da Fundação Cultural de Curitiba:

SOLAR DO BARÃO (R. Carlos Cavalcanti, 533 – centro)

Horário: de terça a sexta-feira, das 9h às 12h e das 14h às 18h

Entrada gratuita

Museu da Fotografia Cidade de Curitiba

ESTADO DE SUSPENSÃO DE CHARLY TECHIO – Trabalhos realizados a partir de 2013. A artista explora fotograficamente autorretratos, retratos e associa alguns elementos, como caveiras e animais, nas imagens. Até 12 de fevereiro.

SER PASSAGEM DE ESTEVAN REDER – Pessoas andando pelas ruas das cidades que contribuem para a análise que o fotógrafo tem sobre a sua obra focada essencialmente no ser humano. Depois de fotografadas, essas pessoas são “transportadas” de um lugar para o outro através da técnica de lambe-lambe – impressão digital em papel, recortada e aplicada nas ruas em escala natural. Até 12 de fevereiro.

Museu da Gravura Cidade de Curitiba

6º PRÊMIO IBEMA DE GRAVURA – Apresentação do resultado do concurso, maior do gênero promovido pela iniciativa privada no país, que traz para a exposição os 20 artistas selecionados. Até 26 de fevereiro.

PARA CIMA DO CHÃO HÁ O INVISÍVEL – Maya Weishof e Eduardo Cardoso Amato partem da linguagem da gravura para localizar discussões relativas à noção de território. A prática é aliada ao auxílio de produção de Elisa Cordeiro, e à curadoria de Isadora Mattiolli. Até 26 de fevereiro.

FUGANTI OSINSKI CARNEIRO GILLER – Juliane Fuganti, Dulce Osinski, Ricardo Carneiro e Everly Giller têm em comumo fato de terem dado seus primeiros passos em gravura nas oficinas do Solar do Barão. Até 26 de fevereiro.

A PROFUNDIDADE DA DISTÂNCIA – Viniciús Buzzatto expõe gravuras em metal do ciclo “a profundidade da distância”. Até 26 de fevereiro.

FOLIANDO – Miriam Fischer parte do olhar à natureza tendo como elemento propulsor a paisagem e suas sensações. Até 26 de fevereiro.

Gibiteca de Curitiba

RETROSPECTIVA URBAN SKETCHERS CURITIBA NA GIBITECA – A mostra traz os trabalhos de 19 desenhistas, sob curadoria de Simon Taylor. Até 19 de fevereiro.

EXPOSIÇÃO DOS ALUNOS – Fanzines, aquarelas e desenhos de modelos vivos cosplay dos alunos dos cursos da Gibiteca de Curitiba. Até 19 de fevereiro.

MUSEU MUNICIPAL DE ARTE (Portão Cultural – Av. República Argentina, 3430 – Portão)

Horário: de terça-feira a domingo, das 10h às 19h

EXPOSIÇÃO BIENAL DE QUADRINHOS DE CURITIBA (Até 15 de janeiro)

NO ESPAÇO ENTRE NÓS – Instalação de Helio Rodrigues. Adolescentes da comunidade do Jacarezinho e de Santa Tereza (RJ) foram provocados a se representar a partir de suas sombras, abandonando sua imagem exterior conectada com sua identidade social e buscando se expressar subjetivamente. Até 15 de janeiro.

GIFEMOTION – EMOÇÃO E MOVIMENTO – A mostra é composta por gifs animados criados pelo designer e artista gráfico Leandro Catapam a partir de colagens que mesclam processos manuais e digitais na execução. Até 5 de março.

O CIRCO, O BRINQUEDO E A BRINCADEIRA – Obras dos Acervos da FCC, com a participação da artista convidada Cyntia Werner. Curadoria Joseane Baratto. A exposição tem espaço interativo para crianças. Até 19 de março.

A INVASÃO DOS ROBOLITOS – Quatro esculturas medindo entre 3 e 5 metros em formato dos personagens conhecidos como Robolitos, criados pelo artista Adriano Bohra. Até 26 de março.

MEMORIAL DE CURITIBA (R. Claudino dos Santos, 79 – Setor Histórico)

Horário: de terça a sexta-feira, das 9h às 12h e das 13h às 18h. Sábados e domingos, das 9h às 15h

RETROSPECTIVA APAP/PR – Exposição da Associação Paranaense dos Artistas Plásticos. Até 19 de fevereiro.

TIPOGRAFIA CURITIBA – O projeto exibe o universo tipográfico de Curitiba, a partir da instalação da Tipographia Paranaense em 1854. Com base em recorte do acervo da Casa da Memória, especialmente em exemplares até 1945, designers e artistas visuais selecionaram tipografias para redesenho digital e composição dos cartazes do projeto. Até 28 de fevereiro.

MUSEU DE ARTE SACRA (Largo da Ordem)

Horário: De terça a sexta-feira, das 9h às 12h e das 13h às 18h. Sábados e domingos, das 9h às 14h

ARTE NATAL – COLETIVA DE ARTISTAS PARANAENSES – Mais de 30 artistas paranaenses, com várias técnicas e estilos, representam a simbologia da festa cristã. Apoio: Centro de Arte Contemporânea Edílson Viriato. Até 21 de fevereiro.

CASA ROMÁRIO MARTINS (Largo da Ordem)

Horário: De terça a sexta-feira, das 9h às 12h e das 13h às 18h. Sábados e domingos, das 9h às 14h

ALCEU CHICHORRO E A CULTURA MATERIAL DO JORNALISMO CURITIBANO EM MEADOS DO SÉCULO 20 – Reproduções de 127 charges originais de Chichorro em nanquim sobre papel. Até 26 de fevereiro.