Carta de uma advogada

Hoje em dia vivemos em um mundo totalmente deturpado de seus valores, onde as pessoas ao invés de consertarem aquilo que se quebrou preferem jogar fora.

Sim, este é o caso de muitos divórcios que vem acontecendo todos os dias no MUNDO inteiro. Seja por problemas financeiros, seja por quebra da confiança, seja por traições ou por incompatibilidade de pensamentos, as situações são inúmeras e cada dia mais os escritórios de advocacia se enchem de casais e ex-casais que querem o divórcio, a quebra da relação familiar.

Muitas vezes o casal acha que o divórcio é a principal resolução para seus problemas, mas muitos estão apenas trocando uma série de problemas por outros.

Geralmente os casais que optam pelo divórcio não abriram o “leque” de opções que possam levar a uma saída aquém do divorcio, estão sob a influência muitas vezes daquilo que vem “de fora” ouvindo conselhos muitas vezes de quem sequer sabe da situação real que existe dentro do seu lar, apenas dando meros “palpites”. Normalmente, essas pessoas por acaso são solteiras ou ainda divorciadas, não sabem e nem tem ideia do que se passa, deixam de analisar no abalo que um divórcio, uma separação, causa em uma criança que esteja envolvida neste meio. Essas pessoas que oferecem estes conselhos, sempre esboçam uma felicidade que nem sempre está de fato sendo vivida, ou você acha mesmo que as pessoas que estão infelizes irão se mostrar infelizes.

Acredite, as pessoas te querem bem, mas NUNCA melhores do que ela, e muitas vezes o fato de você possuir uma família pode incomodar muita gente. Então, antes de partir para o meio litigioso procurem todos os meios possíveis para resolução dos conflitos. Pois quando as pessoas se casam, com absoluta certeza não casam para divorciar-se, mas na intenção de viverem para sempre como UM. Claro, é imprescindível que ainda exista amor, como disse, o mundo e seus valores estão deturpados e muitas vezes as pessoas não querem mais consertar o que se estragou, apenas jogar fora, sem analisar todo o contexto, ou anos que existiram de cumplicidade e amor.

Muitas histórias extraordinárias são destruídas por decisões que são tomadas de cabeça quente. Então, meu caro, colega, amigo e cliente, ainda existem muitos profissionais que não visam apenas o valor que irão receber realizando um divórcio, mas pensam sim, no instituto familiar que Deus criou para ser eterno. Deixo-me valer que este conteúdo é de opinião pessoal, jamais indo contra a ideologia de cada indivíduo, mas talvez abrindo os olhos do ser humano para que possam resolver seus conflitos da melhor forma possível.

Bacharel em Ciência Política pela Faculdade Internacional de Curitiba em 2010; Graduada em Direito pela Faculdades Santa Cruz de Curitiba; Destaque Acadêmico por Desempenho como Melhor Aluna do Curso de Direito de 2015 da Faculdade Santa Cruz; Curso Direito Previdenciário pela Escola de Magistratura do Paraná em nov/2016; Curso Direito de Família e Sucessões set/2017 pela Faculdade Santa Cruz de Curitiba.