Passeio a pé pelo primeiro Centro Cívico do Brasil. -Na imagem, projeto do Centro Cívico que faz parte do Plano Agache de 1941. Acervo : SMCS

Centro Cívico concentra prédios históricos e pode ser conhecido a pé

O Centro Cívico de Curitiba foi o primeiro do Brasil. Idealizado nos anos 1940, a partir do Plano Urbano de Curitiba, então proposto pelo urbanista francês Alfred Agache, o local se tornou realidade cerca de uma década depois, sob o governo estadual de Bento Munhoz da Rocha Neto. O projeto foi concretizado para comemorar o centenário da emancipação do Paraná, celebrado em 1953.

A ideia inicial de Agache era que o bairro pudesse funcionar tanto como centro administrativo, quanto como um cartão-postal da cidade. Na época da construção, o tema atraiu atenção em todo Brasil, sendo motivo de visitas técnicas de estudantes e passeio de turistas.

Para os turistas e visitantes, é possível conhecer o bairro a pé começando pela Praça 19 de Novembro. Apesar de estar no Centro, a praça é um marco das comemorações do Centenário de Emancipação política do Paraná. O Centro Cívico também conta com uma boa infraestrutura de serviços, com restaurantes, hotéis, shoppings e diversos pontos de ônibus.

Roteiro a pé pelo Centro Cívico

Praça 19 de Dezembro – Seu nome lembra o dia 19 de dezembro de 1853, data da Emancipação Política do Paraná. Nela se destacam o painel em azulejos de Poty Lazzarotto e a estátua do Homem Nu, que representa o povo paranaense rumando para desbravar o Interior do Estado.

Avenida Cândido de Abreu – O nome foi herdado do ex-prefeito de Curitiba, que administrou a cidade por duas vezes na virada dos séculos 19 para 20. A avenida proporciona uma bela vista do Palácio Iguaçu ao fundo e é constantemente usada para desfiles, cerimônias e manifestações.

Palácio 29 de Março – Inaugurado em 14 de novembro de 1969, é a sede da Prefeitura de Curitiba.

Palácio da Justiça – Inaugurado em 1962, tem fortes traços da arquitetura modernista. Abriga o Museu da Justiça.

Tribunal do Júri – Inaugurado em 1954, foi uma das primeiras obras concluídas do projeto do Centro Cívico.

Palácio das Araucárias – Projetado inicialmente para servir ao Fórum do Paraná, hoje abriga órgãos do Governo do Estado.

Tribunal de Contas do Paraná – A construção é de 1972, e seu anexo de 1987. Suas características espaciais e estruturais remetem aos edifícios públicos de Brasília.

Palácio Iguaçu – Com fortes traços modernistas, foi inaugurado em 1954 e é um marco do Centenário de Emancipação do Paraná.

Assembleia Legislativa – Está na sede atual desde 1954. É formada por um complexo de três prédios. O mais recente é de 1986.

Praça Rio Iguaçu – A Praça Rio Iguaçu é uma homenagem aos imigrantes que povoaram as margens do Rio Iguaçu a partir 1535. O painel assinado por Rogério Dias é o grande destaque da praça, que também conta com um piso de petit-pavê, uma das marcas de Curitiba.

 

Parques e Museus

Museu Oscar Niemeyer – O MON é um dos maiores museus da América Latina e abriga exposições fixas e itinerantes. Seu espaço físico é formado por um prédio principal, datado de 1967, e seu novo anexo, de 2001. Ambos foram projetados pelo arquiteto Oscar Niemeyer.

Bosque João Paulo II – Foi inaugurado em 1980, após a visita do Papa João Paulo II a Curitiba. Possui um Memorial Polonês instalado em casas feitas de troncos, que inclui uma imagem da padroeira, a Virgem Negra de Czestochowa. O parque ainda abriga uma obra do artista Poty Lazzarotto, Movimento Escoteiro, de 1994.

 

História

Fora do bairro, mas a uma curta distância, estão pontos que são marcos para a história do Paraná e de Curitiba.

Rua Barão do Rio Branco – Já foi chamada de Rua da Liberdade e Rua da Estação, por ligar a antiga Estação Ferroviária (atual Shopping Estação) ao Centro da cidade. O nome atual homenageia o embaixador José Maria da Silva Paranhos, o Barão do Rio Branco, que demarcou os limites do Brasil com o Uruguai, a Bolívia, a Argentina e o Peru. Abrigo de prédios históricos, como a Câmara Municipal, a rua viveu os ciclos da erva-mate e da madeira. Produtores vinham de trem à capital e se hospedavam em seus vários hotéis.

Rua Comendador Araújo – A Antiga Estrada do Mato Grosso foi um caminho importante no desenvolvimento de Curitiba. Possui casarões que pertenceram a donos de engenhos. Um dos casarões, construído no século 19, abrigou a Universidade Federal do Paraná logo após a inauguração.

Passeio Público – Construído para resolver problemas de inundação do Rio Belém, o Passeio Público foi inaugurado em 1886 e foi por quase um século o único parque de Curitiba. Seu portão art-nouveau é inspirado no do Cemitério de Cães de Paris. Em 1932 se tornou um pequeno zoológico. Em 1982, os animais de grande porte foram transferidos para o Zoológico do Boqueirão.