Com apoio a startups, Curitiba é a capital que mais gerou emprego no Sul

A geração de emprego em Curitiba cresceu, com 8.726 vagas com carteira assinada abertas de janeiro a maio desse ano, de acordo com o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) divulgado pelo Ministério do Trabalho. O número mede a diferença entre admissões e demissões no mercado formal de trabalho.

A capital foi a cidade que mais criou empregos no Estado e na Região Sul. Ficou à frente de Florianópolis (-1.444) e de Porto Alegre (2.112). No ano passado, no mesmo período, o saldo estava negativo em 270 vagas. Ou seja, naquele período Curitiba mais demitiu que contratou.

A manutenção no crescimento da geração de empregos em Curitiba, além da melhora do cenário econômico, tem relação direta com a postura da gestão municipal de fomentar as atividades das startups e pequenas e médias empresas por meio do Vale do Pinhão.

A avaliação é de Fabiano Vilaruel, superintendente do Trabalho e Emprego e diretor de Qualificação para o Trabalho da Fundação Ação Social (FAS) Trabalho. “Essas empresas e startups, por sua vez, acreditam cada vez mais na vocação que Curitiba tem de gerar oportunidades, emprego e renda”, afirmou.

De acordo com ele, outro ponto que pode estar contribuindo para a efetivação dos empregos é a busca natural que o curitibano faz por conhecimento. “Indiscutivelmente a formação profissional representa o melhor caminho para quem quer uma colocação no mercado de trabalho. E o programa municipal Liceus de Ofícios tem uma importante participação nesse sentido”, disse.

O programa da Prefeitura oferece cursos de qualificação gratuitos para jovens e adultos, principalmente em situação de vulnerabilidade social. Em 2017 foram mais de 15 mil vagas ofertadas em cursos profissionalizantes. Para este ano a estimativa é de chegar a 20 mil.

Serviços

“Curitiba vem apresentando uma dinâmica forte na geração de empregos, puxada pelo setor de serviços, principalmente”, diz Julio Suzuki Júnior, diretor presidente do Instituto Paranaense de Desenvolvimento Econômico Social (Ipardes).

O setor de serviços, sozinho, gerou 7.990 vagas de janeiro a maio desse ano. Em segundo lugar veio a construção civil, com 972 vagas, e a indústria de transformação, com 661 vagas, em terceiro.

Somente no mês de maio foram geradas 954 vagas em Curitiba, com destaque para o setor de serviços (1.360) e o da indústria da transformação (153).