Confira as infrações mais comuns cometidas nas rodovias federais em 2017

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) divulgou nesta quarta-feira (31) os 10 tipos de infrações mais registradas no ano passado nas vias em que ela é responsável pelo policiamento.

 

Mais de 2,3 milhões de veículos foram flagrados em velocidades até 20% superior ao limite máximo permitido. Essa infração é considerada média. O motorista que a comete é multado em R$ 130,10 e acumula quatro pontos na carteira.  

Desde 2016, os condutores estão obrigados a manter a luz durante o dia em todas as rodovias. No ano passado, 905 mil motoristas deixaram de acender os faróis nas vias federais e foram multados em R$ 130,10, valor aplicado nas infrações médias, e tiveram quatro pontos acrescentados na carteira.

Outros 500 mil motoristas foram autuados por estar entre 20% e 50% acima do limite. É uma infração grave, que gera multa de R$ 195,23 e cinco pontos na carteira.

Quem faz ultrapassagem em locais proibidos é multado em R$ 1.467,35 e ganha sete pontos na carteira. O preço corresponde a cinco vezes o valor de uma multa gravíssima. Em 2017, 224 mil condutores foram flagrados realizando esse tipo de manobra nas rodovias. 

Essa infração grave foi cometida por 143,9 mil motoristas. A multa aplicada a eles foi de R$ 195,23 e cinco pontos na carteira. O uso do cinto é obrigatório em todas as vias do Brasil.  

Em 2017, 142 mil motoristas foram autuados pela PRF por conduzir veículos sem licenciamento. A falta desse documento é uma infração gravíssima e gera uma série de problemas para o condutor, como apreensão do veículo, multa de R$ 293,47 e sete pontos na carteira.

Os 102,9 mil condutores que dirigiam carros sem um dos 29 equipamentos obrigatórios pelas rodovias federais foram multados em R$ 195,23 e tiveram os veículos retidos para regularização. A infração é considerada gravíssima e acrescenta sete pontos na carteira do condutor. Entre os equipamentos que devem estar presentes em todos os veículos estão o macaco, a chave de roda, os retrovisores e a roda sobressalente.

Esquecer a carteira de habilitação ou a permissão para dirigir gera uma série de complicações para os motoristas. No ano passado, por exemplo, os 100,5 mil que dirigiam sem esses documentos pelas rodovias federais ganharam sete pontos na carteira, pagaram multa de R$ 880,41 reais, três vezes o valor da infração gravíssima.

Cerca de 90 mil veículos foram flagrados trafegando em mau estado de conservação, com pneus carecas, para-brisa trincado ou algum outro item que possa causar risco. Pela infração grave, os motoristas foram multados em R$ 195,23, cinco pontos na carteira, e tiveram o veículo retido para regularização.   

 

Ao todo, a PRF flagrou 69,4 mil passageiros nessa situação . A multa aplicada foi de R$ 195,23 e cinco pontos na carteira.  O cinto deve ser usado por todos os passageiros no carro, tanto nos bancos da frente, como nos localizados atrás do veículo. O uso só não é obrigatório em percursos em que seja permitido viajar em pé, como nas linhas do transporte coletivo.