Cruzeiro atropela e elimina Vasco em São Januário

Noite complicada para dois dos três times brasileiros que entraram em campo pela Copa Libertadores na noite desta quarta-feira (3). Se dois tiveram o que lamentar, um teve motivos de sobra para comemorar.

No duelo brasileiro em São Januário, massacre celeste. Vasco e Cruzeiro entraram em campo com a intenção de vencer, mas as realidades eram completamente diferentes. Lanterna do grupo cinco, o Vasco precisava vencer para manter viva a chance de classificação. Já o Cruzeiro, em segundo lugar, queria encostar no então líder do grupo, o Racing da Argentina.

E a diferença nas situações refletiu da maneira em que as equipes jogavam. Enquanto o Vasco ia com o coração, empurrado pela torcida, o Cruzeiro tentava manter a calma e segurar o jogo. No entanto, o ímpeto vascaíno logo tomou uma ducha de água fria. Aos nove minutos da primeira etapa, o zagueiro Léo desviou após cruzamento de Egídio e abriu caminho para a goleada da Raposa. E falando no lateral Egídio, ele estava inspirado para servir os colegas. Com 24 minutos do primeiro tempo, Egídio cruzou novamente, desta vez para Thiago Neves ampliar a vantagem do Cruzeiro. Em menos de dez minutos, o terceiro golpe. Sassá, aos 32, transformou São Januário em uma área de lazer cruzeirense com o terceiro gol da equipe mineira. Logo após o terceiro gol, uma confusão generalizada tomou conta das arquibancadas da torcida vascaína. O árbitro Anderson Daronco paralisou a partida por seis minutos até que a situação fosse neutralizada.

O segundo tempo voltou e parecia ser um replay da primeira etapa. Antes mesmo dos dez minutos, Sassá marcou o segundo dele na partida e sacramentou a vitória cruzeirense. Placar final, Vasco zero, Cruzeiro quatro. O resultado eliminou o cruzmaltino da Liberta, enquanto a Raposa assumiu temporariamente a liderança do grupo, além de encaminhar a classificação para as oitavas de final.

Quem também não deve ter ido dormir bem foi a torcida Corinthiana, que viu a equipe ser derrotada em casa para o gigante argentino do Independiente. A equipe argentina não quis saber da soberania alvinegra em casa e, logo no primeiro minuto da primeira etapa, abriu o placar com Benítez.

Aos 24, o atacante Romero fez contra e ampliou a vantagem do Rei de Copas em Itaquera. O Timão conseguiu descontar aos 31 com Jadson. No segundo tempo, o Alvinegro Paulista foi para cima, mas não tinha muita criatividade para criar jogadas. O destaque negativo do jogo ficou com Emerson Sheik, que entrou no lugar de Jadson aos 33 minutos da etapa complementar e, aos 35 foi expulso, sem ter feito sequer uma jogada. Sheik fez falta duríssima em Sanchez Miño e foi mais cedo para o chuveiro.

Final, Corinthians um, Independiente dois. O Timão ainda é líder do grupo sete com sete pontos, o Independiente está em segundo seis pontos somados.

Nesta quinta quem entra em campo é o Palmeiras, líder isolado do grupo oito, com dez pontos e já classificado para as oitavas de final. O Alviverde joga fora de casa, no Peru, contra o lanterna Alianza Lima.

E não foi só na Libertadores que a emoção agitou o torcedor. Duas partidas esquentaram as partidas de ida pelas oitavas de final da Copa do Brasil. Em Campinas, o Flamengo teve trabalho, mas conseguiu derrotar a Ponte Preta por um a zero. Agora, para a partida de volta, o Rubro-Negro tem a vantagem do empate sem gols.

Jogando no Independência, Atlético Mineiro e Chapecoense não saíram do zero a zero.