Curitiba S.A. coloca à venda lotes e imóveis ociosos do patrimônio

A Companhia de Desenvolvimento de Curitiba – Curitiba S.A. deu início nesta semana ao processo de venda de terrenos e imóveis ociosos em seu patrimônio e que não podem ser de uso e domínio público. O edital da licitação do primeiro lote foi publicado no Diário Oficial do Município da última quarta-feira (23/8).

De acordo com o documento, os imóveis serão alienados nas condições em que se encontram, sendo de responsabilidade do comprador quaisquer despesas necessárias à utilização. A lista de imóveis inclui cinco terrenos, localizados na CIC, Vila Izabel, no Cajuru, Prado Velho e Sítio Cercado. A venda faz parte da proposta de racionalização de gastos da empresa.

Segundo o diretor-presidente da companhia, Bruno Rocha, a comercialização dos imóveis da Curitiba S.A., por meio de licitação, é parte de uma estratégia elaborada pela diretoria executiva, para reduzir gastos e aumentar a arrecadação com a oferta de terrenos. “As áreas estão desocupadas e não podem ser de uso e domínio público”, lembrou.

Os interessados poderão consultar todas as regras e formalidades legais para a compra dos imóveis no edital que também está disponível no site da companhia. Mais informações e fotos dos imóveis podem ser acessadas no mesmo endereço.

O diretor administrativo e financeiro da empresa, Mateus Maranhão Ramos, afirmou que o primeiro edital deste ano, com um número menor de terrenos, é uma prática adotada pela Curitiba S.A. para a comercialização dos seus terrenos. “Trabalhamos com a concorrência pública para a venda do nosso patrimônio para dar maior transparência às ações de comercialização, buscando alcançar os princípios norteadores da administração pública: legalidade, moralidade, publicidade”, ressaltou.

“A licitação vem em um momento de recuperação do mercado imobiliário de Curitiba. Todos os imóveis que estão em oferta estão totalmente regularizados e têm ótima localização. Analisamos o mercado e sabemos que há uma demanda por esses imóveis”, completou Maranhão.

Condições

Podem participar pessoas físicas (exceto funcionários e colaborados da Curitiba S.A.) e jurídicas, inclusive por meio de consórcio. A licitação será via concorrência pública, marcada para 20 de outubro, a partir das 10h, no auditório localizado no 8º andar do Edifício J Malucelli, situado à Rua Barão do Rio Branco, 45, Curitiba.

Os interessados deverão apresentar uma proposta por terreno. Será vencedora a de maior valor, que deve ser igual ou superior ao preço mínimo definido no edital. Os valores dos imóveis variam de R$ 135 mil a R$ 2,76 milhões. Será necessário recolher caução no valor correspondente a 5% do preço mínimo do imóvel, montante que será devolvido aos que não tiverem as proposta escolhidas, de acordo com as regras do instrumento convocatório.

No dia da concorrência, deverá ser apresentada a documentação exigida, o comprovante de pagamento de caução e a proposta pelo terreno pretendido. O pagamento do imóvel poderá ser feito à vista, com recursos próprios ou por meio de financiamento próprio com a Curitiba S.A., com 20% de sinal do negócio e o restante parcelado em até 60 (sessenta) meses, com juros de 0,5% ao mês.

Os imóveis podem ser visitados sem necessidade de comunicação prévia ou interveniência da companhia, até a véspera da data limite para recebimento das propostas. As áreas podem ser localizadas por meio dos croquis apresentados no edital e informações quanto as condições jurídicas dos imóveis podem ser consultadas pelo endereço eletrônico dmoulepes@curitibasa.com.br ou pelo telefone (41) 3221-8820.

Confira a lista dos imóveis disponíveis e os valores

1) Rua Coronel Hoche Pedra Pires, n.º 361 – Vila Izabel, 418 m ², por R$ 725 mil.

2) Avenida Juscelino K de Oliveira esquina com a Rua Diamante do Norte, Cidade Industrial de Curitiba, 390,12 m², por R$ 135 mil.

3) Rua Francisco Nunes, 1331 – Prado Velho, 678 m², por R$ 607 mil.

4) Rua Nova Aurora, n.º 1851 – Sítio Cercado, área com 1.856,08 m² com Barracão de 560 m², por R$ 1,820 milhão.

5) Rua João Dembinski, n.º 450, Cidade Industrial de Curitiba, 8.665 m², por R$ 2,760 milhões.