Em blitz no Centro, um quarto dos motoristas tem carro recolhido

Um quarto dos veículos abordados em fiscalização de trânsito na noite desta quinta-feira (30/8) foram recolhidos por apresentar infração passível de remoção. A ação foi deflagrada por agentes de trânsito e guardas municipais no Centro da cidade.

As 145 abordagens da noite foram feitas na Alameda Augusto Stellfeld, próximo da Rua Ébano Pereira. Desse total, 65 autos de infração foram emitidos e 36 remoções precisaram ser feitas, sendo 23 de automóveis e 13 de motos. Nesses casos, o veículo pode ser recuperado pelo dono após regularizar todas as pendências com documentação e quitar os valores da remoção e do pátio.

“Temos reforçado com frequência a importância de manter a documentação do condutor e do veículo em dia e vemos que o assunto têm sido debatido pela população”, analisa a superintendente de Trânsito, Rosangela Battistella.

Mesmo assim, ainda um grande número de veículos é flagrado com algum tipo de pendência. “As fiscalizações são feitas diariamente, algumas em conjunto com as polícias Militar e Rodoviária Federal”, informa a superintendente.

Licenciamento do veículo é obrigatório para circulação e ter problemas com a documentação é infração de natureza gravíssima, segundo o Código de Trânsito Brasileiro (CTB). A multa é de R$ 293,47.

Remoção

Além do procedimento adotado em ações fiscalizatórias, veículo que esteja estacionado em local proibido ou em desacordo com a regulamentação vigente também pode ser removido com o serviço de guincho contratado pela Prefeitura.

Veículos abandonados em local público, há mais de 30 dias, que apresentem visível mau estado de conservação ou tenham sido vandalizados também podem ser guinchados, bem como caçambas irregulares.

Para utilizar o espaço público, as empresas que operam com transporte de resíduos de construção civil e escavações devem ter as autorizações necessárias da Secretaria Municipal do Meio Ambiente. Em todos esses casos, o cidadão pode contribuir repassando a informação via telefone 156.

Os veículos não reclamados pelos proprietários no período de 60 dias, contando da data do recolhimento, poderão ser leiloados, conforme previsto no artigo 328 do Código de Trânsito Brasileiro (CTB).