Escolas municipais recebem projeto de incentivo à leitura

A partir desta semana, escolas municipais receberão os artistas da companhia Travessia – Arte e Educação que trazem o projeto “Um passarinho me contou…”. Serão 70 sessões de contação de histórias e 50 rodas de leitura para crianças da educação infantil e estudantes do ensino fundamental, além de casas da leitura e instituições de assistência social.

A programação se estende até o mês de setembro e inclui dois cursos para os profissionais da educação. O projeto é resultado da Lei Municipal de Incentivo à Cultura e Fundação Cultural de Curitiba e tem o incentivo da Copel e da BWT Operadora de Turismo.

No repertório dos atores Michelle Peixoto e Vinícius Mazzon, contos da tradição oral brasileira, contos contemporâneos de literatura infanto-juvenil, temperados com canções, parlendas, quadrinhas e adivinhas. Os textos escolhidos para este projeto são de autores consagrados.

“Nossa rica oralidade popular é uma porta de entrada privilegiada para a literatura escrita. Vários autores brasileiros, entre eles, Câmara Cascudo, Silvio Romero, Henriqueta Lisboa, Ana Maria Machado e Ricardo Azevedo, foram bem sucedidos ao lançar coletâneas de recontos populares. No Brasil, estas publicações edificaram a ponte entre a literatura oral e os livros, e é por esta ponte que desejamos transitar e servir de guia para os alunos e educadores beneficiados pelo projeto. Nosso foco é a relação entre oralidade, literatura, incentivo à leitura e à cidadania”, explica Mazzon. Ao final de cada sessão, os atores apresentam os livros que trazem as histórias narradas e outras sugestões de leitura.

Durante as rodas de leitura, os participantes terão em mãos uma cópia dos textos para poder acompanhar a leitura em voz alta realizada pelo mediador, além de ter a oportunidade de poder contribuir com sua leitura particular e experiência pessoal. A ideia, através das rodas, é criar um espaço para ouvir o outro e possibilitar o aprendizado de ler socialmente, criticamente e afetivamente.

“Acreditamos que as experiências culturais que oferecemos a partir deste projeto servirão de alimento valioso também para os educadores, nossa intenção ao oferecer os cursos é contribuir com sua atuação profissional. Tais ações buscam tornar a escola pública um local de beleza, onde vigore uma educação sensível”, afirma Michelle.

Vinícius e Michelle desenvolvem projetos semelhantes a este em Curitiba e outros municípios do Paraná há sete anos e já beneficiaram mais de 30 mil crianças e adultos através da contação de histórias tradicionais, rodas de leitura, espetáculos teatrais e oficinas de capacitação para professores.

Um comentário

  1. Marina Miranda Peres

    Parabéns pela iniciativa!