Estudante de escola municipal será um dos condutores da tocha olímpica em Curitiba

Um dos principais símbolos dos Jogos Olímpicos, a tocha olímpica chega na tarde desta terça-feira (28) ao Paraná, começando sua passagem pelo estado por Londrina, na região Norte. Mas o estudante Lucas Matheus de Jesus de Moraes, de 14 anos, aluno do 8º ano da Escola Municipal Prefeito Omar Sabbag, conta os dias para sua chegada em Curitiba. Campeão paranaense em arremesso de disco e marcha em 2015, Lucas vai participar do revezamento da chama pelas ruas da cidade, no dia 14 de julho. Ele é um dos 17 condutores indicados pela Prefeitura de Curitiba para participar da cerimônia que representa o espírito olímpico. No total, 170 pessoas vão fazer o trajeto de 36 quilômetros em Curitiba.

O percurso vai passar pelos principais pontos turísticos da cidade, incluindo parques e museus. Lucas vai conduzir a chama por 200 metros e pretende representar os 142 mil estudantes e os 18 mil profissionais da rede municipal de ensino. “Sinto uma mistura de ansiedade e orgulho, pois tenho a alegria, mas também a responsabilidade, de conduzir um símbolo mundial. Acho que será inesquecível”, disse o estudante, durante um encontro com a secretária municipal da Educação, Roberlayne Borges Roballo.

“Será um marco na sua vida, mas também para todos que formam a rede municipal de ensino e que te acompanharão neste momento tão importante, de união das nações a partir dos princípios olímpicos”, disse Roberlayne.

Sem saber ainda a sequência do revezamento – de quem receberá e para quem vai passar a tocha – o jovem faz planos para o momento. “Vou caminhar devagar para curtir cada segundo que ela estiver em minhas mãos e poder orgulhar minha família, meus amigos e, especialmente, meus professores, que são meus maiores incentivadores”, conta o estudante.

Lucas foi criado pelos avós, uma costureira e um eletricista que mudaram o destino do neto quando o matricularam na Escola Municipal Omar Sabbag, onde as aulas de atletismo estão entre os projetos desenvolvidos na contraturno escolar como estratégia para melhorar o ensino. Foi ali que Lucas conheceu a professora de educação física Priscila Rizzi, que identificou seu talento para o esporte. “Percebíamos muito potencial no Lucas, mas foi preciso que ele passasse por diferentes modalidades até se encontrar no lançamento e no arremesso”, diz a professora.

Acostumada a torcer pelo desempenho do aluno nos campeonatos, Priscila vibrou ao saber do revezamento. “Foi uma oportunidade que serviu para valorizar sua autoestima como atleta, mas que trouxe também um amadurecimento para o Lucas, que neste ano está muito mais dedicado aos estudos”, comemora Priscila.

A diretora da escola, Marta Regina Cambrussi de Lima, e os coordenadores de Educação Integrada da SME, Eliane Butenas e Marcelo Padilha; também acompanharam o encontro no gabinete da Secretaria Municipal da Educação. O revezamento da tocha olímpica Rio 2016 vai percorrer 329 cidades do Brasil em 95 dias, alcançando 90% da população do país em todos os 26 estados do Brasil, além do Distrito Federal.