Fim do sonho!

Depois de lutar muito pela classificação para as semifinais da Copa Sul-Americana, o Coritiba, que havia deixado para trás Vitória e Belgrano, na competição, volta para o Brasil sem a concretização do sonho. Mas, o time chegou longe! Esta foi a primeira vez que o clube disputou as quartas de final da “Sula” e foi contra o Nacional, em Medellín, na noite desta quarta-feira (26).

Depois de um primeiro tempo emocionante, com direito a golaço de falta do venezuelano César Gonzalez, no final da etapa, o Verdão não conseguiu conter o Atlético Nacional de Medellín, no segundo tempo, nos gramados do Atanásio Girardot. Os três gols do time colombiano foram marcados por Miguel Borja. Entre eles, uma cobrança injusta de um pênalti que, na realidade, não aconteceu.

Comandados pelo técnico Paulo César Carpegiani, quem entrou em campo com a camisa do Coritiba na noite desta quarta-feira (26) foram os seguintes jogadores: Wilson, Walisson Maia, Luccas Claro (Thiago Lopes), Juninho, César Benitez, Amaral, César Gonzalez (Kleber), Ruy (João Paulo, Iago Dias, Leandro e Kazim.

Maestrico marca golaço no primeiro tempo, acrescentando esperança de classificação 

Em uma partida marcada por uma atmosfera desafiadora, o Coritiba entrou em campo, na noite desta quarta-feira. Além da massiva presença da torcida do time da casa, o Atlético Nacional, o Coxa tinha outro grande desafio: não se intimidar diante da vitoriosa bagagem que esta equipe colombina carregava. Entre elas, o título da Copa Libertadores da América 2016.

Apesar de o Nacional apresentar mais posse de bola no primeiro tempo, quem chegava mais à grande área adversária era o Coritiba, afinal, viajara para Medellín em busca de uma classificação para a semifinal da competição. Para o Coxa, o lema era “vencer ou vencer”.

Jogando com três homens na frente – Iago, Leandro e Kazim – a postura do Verdão era ofensiva. Porém, faltava efetividade em suas finalizações. Nesta etapa, a primeira chance foi de Leandro, que mostrava sede de gol, logo aos oito minutos. Ele se aproximou da grande área pela esquerda e chutou. Porém, a bola parou nas mãos do goleiro do Nacional, Armani.

Em seguida, foi a vez dos colombianos reagirem. De fora da área, Miguel Borja, que, inclusive, é o artilheiro da equipe, mandou para o gol. E aí, aconteceu a primeira defesa de Wilson na partida. Aos 13′, Leandro, outra vez, com velocidade, tentou chegar a grande área, mas, não teve sucesso. Depois, Iago cruzou pra ele de cabeça. Mas, o juiz marcou impedimento.

Aos 19’, Borja chegou na grande área coxa-branca e Luccas Claro fez o corte. Em seguida, o mesmo zagueiro precisou deixar os gramados, sendo substituído pelo meio-campista Thiago Lopes. Aí o jogo complicou um pouco mais para o Coxa, que foi salvo por um “milagre”, se é que podemos chamar assim. Antes, porém, Leandro tabelou com Kazim e a bola sobrou para Ruy. O árbitro, outra vez, marcou impedimento.

O primeiro susto foi aos 30’, quando a bola tirou uma fininha do canto inferior esquerdo da trave de Wilson, depois do chute de Diaz. Teve ainda a cobrança de falta perigosíssima de Guerra, na entrada na área. Para a sorte dos coxas-brancas, a bola passou por cima da trave.

A primeira etapa já estava terminando quando o Atanásio Giradot foi invadido pela felicidade coxa-branca. É bem certo que o torcedor já está acostumado com jogos emocionantes. Mas, quando a bola balançou as redes do time colombiano, foi impossível descrever o sentimento da nação de coritibanos que tanto ansiavam por esta cena. Em cobrança de falta, Gonzalez, o Maestrico do Verdão, protagonizou um verdadeiro golaço. Primeiro dele com a camisa do Coritiba. A bola foi parar na gaveta! Sem chances para o goleiro do Nacional.

Isto foi aos 42’ e os minutos pareciam passar mais demorados para a torcida coxa-branca. Quando o árbitro encerrou esta etapa, os corações dos torcedores do time do Alto da Glória pareciam que iriam explodir, cheios de esperança pela conquista da vaga na semifinal da competição. Mas, o pior ainda estava por vir.

Borja marca três e Coritiba deixa a competição

Como já era previsto, o Atlético Nacional voltou muito mais ofensivo na segunda etapa. O time de Medellín chegava com tudo na grande área coxa-branca e não demorou muito para que um verdadeiro “balde de água fria” acalmasse os ânimos dos torcedores do Verdão. Miguel Borja, o mesmo que balançou as redes no jogo no Couto Pereira, chutou rasteiro no canto direito de Wilson, marcando o primeiro para a equipe do Nacional. Depois disto, o técnico Carpegiani colocou João Paulo no lugar de Ruy.

Nesta etapa também teve “milagre”. Berío entrou na área coxa-branca e chutou com tudo. A bola, simplesmente, bateu na trave e voltou, ficando para a zaga do Coritiba a responsabilidade de livrar o time do perigo. Até aqui, ainda existia uma esperança. Afinal, o empate levaria a partida para os pênaltis. Mas aí, o mesmo Borja, depois de cobrança de escanteio, pegou de voleio e mandou a bola de cara para o gol. Wilson não teve chances de defesa.

Kleber entrou no jogo no lugar do autor do gol alviverde e, em seu primeiro contato com a bola, sofreu falta pela direita. Mas, a mesma não foi revertida em gol. Depois disto, o Coxa sofreu por uma injustiça da arbitragem. Ao tentar cortar uma cobrança de escanteio, o juiz entendeu que Kazim tocou a bola com a mão, o que não aconteceu, e marcou penalidade máxima. Borja cobrou, aumentando a vantagem do time da casa.

Com o placar apontando 3×1 para o Nacional, Juninho teve chance ao cabecear a bola de dentro da área. Mas foi sem sucesso. A última tentativa do Coxa de marcar mais um foi no penúltimo minuto de jogo, com João Paulo. Ele chutou de longe e a bola passou por cima do gol.

Assim, o árbitro apitou o término de uma noite em verde e branco. Apesar de encerrar sua participação na Sul-Americana, o Alviverde do Alto da Glória volta para casa fazendo história.

Fonte: site oficial do Coritiba