Ginásio do Tarumã sedia festival de judô com 1,2 mil atletas

O Ginásio do Tarumã foi o palco das artes marciais neste domingo (21) com o Festival Curitiba de Judô, que bateu recorde de participação com cerca de 1,2 mil atletas inscritos. Promovido pela Federação Paranaense de Judô e Secretaria Municipal do Esporte, Lazer e Juventude, com o apoio do Governo do Estado – que cedeu a estrutura do Ginásio – o evento contou com competições masculinas e femininas divididas nas categorias Sub 11 (nascidos em 2007), Sub 13, sub 15, Master, Sub 18, Sub 21, Sênior, Sub 11 (nascidos em 2007), Sub 9 e Sub 7. Todos os atletas foram premiados com medalhas.

O presidente da Federação Paranaense de Judô, Luiz Iwashita, afirmou que o apoio do Governo do Estado permitiu que o evento fosse realizado em um dos mais tradicionais espaços esportivos do Paraná. “Em 2016 tivemos 300 atletas no festival e neste ano foram mais de 1,2 mil participantes que puderam confraternizar, aprender e competir nesse maravilhoso palco do esporte que é o Ginásio do Tarumã. Sem dúvidas, são parcerias que estão dando certo e que queremos expandir”, afirmou Luiz Iwashita.

O secretário estadual do Esporte e Turismo, Douglas Fabrício, explica que a prioridade no Tarumã é justamente a realização de eventos em parcerias. “Temos uma grande demanda das mais variadas modalidades esportivas por espaços que comportem os eventos com estrutura de qualidade e boa capacidade de público. Esse Festival de Judô é mais um exemplo de que esse caminho de parcerias, como esta com a Prefeitura de Curitiba e instituições esportivas, têm dado certo”, comentou.

PARTICIPAÇÃO – Cerca de três mil pessoas passaram pelo Tarumã ao longo do dia, a maioria pais e familiares que foram prestigiar os atletas. Esse foi o caso de Victor Satto Badur, que foi com a mulher levar os filhos Nicolas, de 6 anos, e Henrique, de 4, para participar pela primeira vez de uma competição. “As crianças se divertiram muito e a gente também, já que pudemos fazer um programa diferente com eles e vibrar cada vez que entraram no tatame”, afirmou Victor.

O bom público e o clima festivo da competição impressionaram até mesmo quem já está acostumado a frequentar campeonatos. “O esporte, além de ser uma atividade saudável, também une as pessoas. Hoje o ginásio esteve cheio e dava para ver o orgulho dos pais cada vez que seus filhos entravam para competir”, destacou Alessandra Cullis, que levou a filha Rafaelly, que já pratica judô há três anos, para disputar na categoria sub 7.

O festival também oportunizou uma experiência nova para muitas crianças e adolescentes, que puderam participar pela primeira vez de uma competição. “Deu um frio na barriga antes de competir com tanta gente olhando, mas foi legal poder mostrar o que aprendi para a minha família, que veio me assistir”, disse Marcos Henrique Ferreira, de 8 anos.

Já a pequena Lara Hadassa, de apenas 2 anos, estava muito à vontade no tatame, rindo e conversando com os outros atletas. “O esporte ajuda muito no desenvolvimento das crianças e basta olhar para o sorrido e empolgação dela para perceber como está se divertindo”, disse a mãe de Lara, Vivian Gomes. Ela destacou que todos em sua casa praticam esporte e que isso ajuda a terem interesses em comum e uma vida mais saudável.

Também prestigiaram o evento o secretário municipal do Esporte, Lazer e Juventude, Marcello Richa, e os vereadores Thiago Ferro e Ezequias Barros.

SOLIDARIEDADE – Além de estimular a prática esportiva, o Festival Curitiba de Judô também tem um caráter social e arrecadou caixas de leite que serão repassadas para a Associação Franciscana de Educação ao Cidadão Especial (Afece), que atende 225 crianças, adolescentes e adultos com deficiência de alta especificidade. Os números superaram as expectativas da entidade.

“Inicialmente, esperávamos receber algo em torno de 320 caixas de leite, mas superamos 1,2 mil. Essa é a maior doação de leite da história da Afece e queremos agradecer a todos os organizadores, atletas e famílias que nos ajudaram tanto neste evento”, disse a coordenadora de Captação de recursos da Afece, Lucilene Marques.