Guarda Municipal presta apoio em segunda fase de operação na Vila das Torres

Seis pessoas, entre 18 a 54 anos, foram presas em flagrante durante a segunda fase da Operação Torres, desencadeada nesta segunda-feira (27/11), para coibir o tráfico de drogas e receptação de produtos roubados, na região da Vila das Torres. Coordenada pela Polícia Civil, a ação teve apoio da Guarda Municipal de Curitiba e da Polícia Rodoviária Federal.

Uma outra pessoa, de 22 anos, também foi encaminhada até a delegacia para prestar esclarecimentos. Ao todo, dez mandados de busca e apreensão domiciliar, expedidos pela 12ª Vara Criminal de Curitiba, foram cumpridos em residências situadas na Vila Torres, bairro Rebouças.

O inspetor da Guarda Municipal de Curitiba Gilberto Ramos de Oliveira destacou a presença mais constante da GM em operações integradas com as forças policiais. “Por determinação do prefeito Rafael Greca, estamos tendo uma atuação integrada com outros órgãos de segurança, somando esforços para um resultado mais efetivo para a preservação da ordem e da tranquilidade na cidade”, disse ele.

Ao longo da operação, foram apreendidas 86 pedras de crack, 16 buchas de cocaína, 50 gramas de maconha, duas balanças de precisão, uma carteira de identidade roubada, além de R$ 1.123 em dinheiro trocado.

Em uma das diligências a equipe policial prendeu uma mulher, de 39 anos, e dois filhos dela, de 18 e 25 anos, com cocaína, crack e mais de R$ 1,1 mil. “Ao perceber a presença da polícia na casa, a mulher tentou jogar as drogas no vaso do banheiro, porém foi flagrada e presa pela equipe”, falou o delegado-titular do 2º DP e responsável pela operação, Joaquim Antônio Figueira.

Cerca de 80 agentes de segurança, entre Polícia Civil, Guarda Municipal e Polícia Rodoviária Federal (PRF) participaram da operação. Além do efetivo regular, a Guarda Municipal teve a participação do Grupo de Operações Especiais (GOE) e do Grupo de Operações com Cães (GOC). A ação também contou com o apoio de dois helicópteros – do Grupamento Aéreo da Polícia Civil e da PRF, além do Tático Integrado de Grupos de Repressão Especial (Tigre).

“A integração entre as forças de segurança traz resultados cada vez mais importantes em uma área sensível como o tráfico de drogas, que induz a proliferação de outros crimes, como o roubo e a receptação, por exemplo”, avalia o chefe do Núcleo de Operações Especiais da PRF, Anthony Nascimento.

Cinco pessoas foram autuadas pelo crime de tráfico de drogas e o outro homem por roubo. Todos permanecem presos, à disposição da Justiça.