IDL pede ao TSE que proíba Lula em pesquisas eleitorais

O Instituto Democracia e Liberdade (IDL) pediu ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) que não inclua a figura do ex-presidente Lula (PT) nas pesquisas eleitorais.

O presidente do IDL, Edson José Ramon, afirmou que o pedido ao TSE foi motivado pela Lei da Ficha Limpa, que impede que o petista seja candidato. Segundo ele, Fernando Haddad (PT), atualmente registrado como vice-presidente, também não deveria estar nas pesquisas.

“Aquele que afronta e vai ao sentido contrário da Lei da Ficha Limpa, como é o caso do ex-presidente Lula, é inelegível. Consequentemente, não pode ser candidato e muito menos constar em pesquisas eleitorais que geram confusão à sociedade”.

Não é a primeira vez que o IDL se posiciona contra a candidatura do ex-presidente, preso desde abril. Em julho, o Instituto enviou carta à procuradora-geral da República, Raquel Dodge, mostrando sua preocupação com relação ao assunto.

Na ocasião, solicitaram, com base na Lei da Ficha Limpa, uma intervenção do Ministério Público para proibir que o Partido dos Trabalhadores (PT) registrasse Lula como candidato ao Planalto.