Jardim Botânico recebe nova produção de flores do Horto Municipal

Nesta semana, começam a ser plantadas 70 mil novas mudas de tagetes amarelas e laranjas no Jardim Botânico de Curitiba. A safra faz parte do esforço para retomada da produção de flores da Secretaria Municipal do Meio Ambiente. Elas irão se juntar às sunpatiens que já colorem o local.

Hoje, o trabalho no Horto Municipal de Curitiba rende cerca de 150 mil mudas por mês, que são destinadas, principalmente, para atender o paisagismo dos parques, praças e avenidas da cidade. A expectativa é de que, em breve, o horto passe a produzir na capacidade total, que pode chegar a 600 mil mudas mensais.

“Nossa maior demanda, e que estamos trabalhando para atender agora, vem do Departamento de Parques e Praças. As flores são trocadas com a frequência aproximada de três meses, que é o ciclo de vida da planta”, conta o diretor do Departamento de Produção Vegetal da Secretaria, José Roberto Roloff.

Tendência

“Mas flor não é luxo e vai além de embelezar a cidade”, emenda o diretor. De acordo com Roloff, a produção da Prefeitura que chega às ruas acaba criando tendência e gerando demanda entre os produtores e, como consequência, maior saída nas floriculturas.

Além disso, as flores são alguns dos principais atrativos na famosa paisagem urbana da cidade, conhecida como uma das mais capitais mais verdes do País.

Preparação

As tagetes que vão para o Jardim Botânico são espécies de verão e, com as sálvias, são produzidas até maio. Já estão em produção no Horto as espécies de inverno. São amores perfeitos, cravínas, bocas de leão e petúnias, que precisam de 120 dias para estarem prontas para ir a campo.