Mais Armazéns da Família têm postos de coleta de óleo de cozinha usado

A artesã Dynéia Fernandes da Cunha, 28 anos, sempre guardou o óleo de fritura usado para uma vizinha, que complementa a renda fazendo sabão com o resíduo. Mas desde este mês, ela também começou a separar o óleo para descarte correto no Armazém da Família do Autódromo, no Cajuru, uma das 12 unidades da Prefeitura que acabam de receber novos pontos de coleta do produto.

A iniciativa faz parte do projeto EcoSolidariedade, parceria entre a Secretaria Municipal de Agricultura e Abastecimento (Smab), que cede os espaços para coleta, e os Missionários Servos dos Pobres, congregação católica que vende o resíduo para uma usina de biodiesel e usa o recurso para a manutenção de uma creche no bairro do Pilarzinho.

“A secretaria apoia esta iniciativa, pois uma das nossas missões é orientar a população sobre a importância do destino correto dos resíduos, dentro do ciclo do alimento. O óleo de fritura quando descartado de maneira errada, jogado no ralo ou no solo, provoca graves danos ao meio ambiente”, salienta Débora Raquel Ribas Sugai, diretora do Departamento de Educação Alimentar da Secretaria.

Ela lembra que a parceria com a congregação católica teve início, há dois anos, quando cinco armazéns receberam os primeiros pontos de descarte (Boa Vista, Santa Felicidade, Bairro Alto, Santa Efigênia e Pilarzinho).

Desde o fim de julho, mais 12 armazéns da Prefeitura passaram a contar com postos de descarte correto de óleo. “Esperamos levar este projeto, no futuro, para todos os 33 Armazéns da Família”, afirma ela. 

Com a ampliação do projeto, também contam agora com locais de coleta do óleo as unidades do Bairro Novo, Jardim Paranaense, Vila São Pedro, Autódromo, Centenário, Caiuá, Nossa Senhora da Luz, Sabará, Matriz, Maria Angélica, Fazendinha e Campo do Santana.

Rede de coleta

Criado pelos Missionários Servos dos Podres, em 2011, o projeto EcoSolidariedade conta com uma rede de 150 pontos de coleta de óleo de fritura usado, que se espalham pelos Armazéns da Família, paróquias, escolas e empresas participantes da iniciativa. Cada posto conta com recipientes de 60 litros, identificados com banners que trazem o nome do projeto e como entrar em contato. Os recipientes só podem receber óleo acondicionado em embalagens, preferencialmente recicláveis, como garrafas pet.

O padre Carlos Donizete Marson, idealizador do projeto, explica que todo o óleo recolhido nos pontos de coleta é enviado para a Sede Operacional do EcoSolidariedade, no bairro Pilarzinho, onde é realizada a filtragem, para retirada das impurezas; e feito o acondicionado em tanques, para posterior envio para uma usina de biocombustível na Lapa. “Mensalmente, recolhemos cerca de nove mil litros de óleo que serão transformados em biodiesel”, estima Rubens Corrêa Secco, engenheiro agrônomo, especializado em gestão de resíduos, da que dá apoio técnico ao projeto. Secco conta que 1 litro de óleo de fritura rende cerca de 900 ml de biocombustível.

Creche

Padre Carlos lembra que o EcoSolidariedade conta com o apoio da Arquidiocese de Curitiba e é uma importante ferramenta de educação ambiental para transformação da consciência social e proteção dos recursos naturais.

O padre diz ainda que quem participa do Ecosolidariedade está ajudando a manter as 100 crianças atendidas no Centro de Educação Infantil (CEI) Vovó Alfonsa. Localizada também no bairro do Pilarzinho, a creche é conveniada à Prefeitura e atende famílias da região com filhos de 2 a 5 anos de idade. “Todo o recurso arrecadado com a venda do óleo de cozinha é destinado ao atendimento às crianças”, reforça o religioso.

No CEI Vovó Alfonsa, os pequenos recebem toda a atenção de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 17h20, por meio de práticas educativas repletas de interações e brincadeiras, além de refeições diárias. “Eles são meus anjos da guarda, pois eu não teria como trabalhar o dia todo e cuidar do meu filho”, afirma a diarista Michele Rodrigues Antônio, 36 anos, mãe de Yohan, que acaba de completar 5 anos e é uma das crianças atendidas pela equipe do Vovó Alfonsa.  

 

Endereços e horários dos Armazéns da Família que participam do programa de coleta de óleo de cozinha:

Autódromo

Rua Leonardo Novicki, 740 (Av. do Trabalhador, esquina com Rua Dr. Ivan Jorge Cury), Cajuru.

Fone: 3581-1780 / 3581-1784

Terça a sexta-feira, das 8h45 às 17h15. Aos sábados, das 8h30 às 13h


Bairro Alto

Rua Rio Japurá, 1.758 (esquina com a Rua Rio Jari e Av. da Integração), Bairro Alto.

Fone: 3367-4143

Terça a sexta-feira, das 8h45 às 17h15. Aos sábados, das 8h30 às 13h.


Bairro Novo

Rua Ana Alzira Cordeiro, s/nº (esquina com a Rua Ourizona), Sítio Cercado.

Fone: 3289-3736

Terça a sexta-feira, das 8h45 às 17h15. Aos sábados, das 8h30 às 13h.


Boa Vista

Avenida Paraná, 3.783 (esquina com a Rua Fernando de Noronha), Boa Vista.

Fone: 3356-2087

Terça a sexta-feira, das 8h45 às 17h15. Aos sábados, das 8h30 às 13h.


Campo do Santana

Rua Delegado Bruno de Almeida, 3.415, Rio Bonito, Campo Santana.

Fone: 3265-2932

Terça a sexta-feira, das 8h45 às 17h15. Aos sábados, das 8h30 às 13h.


Caiuá

Rua Maria Lúcia Locher de Athayde, 7.954 (Próximo ao Parque dos Tropeiros), CIC.

Fone: 3229-4395 / 3329-5931

Terça a sexta-feira, das 8h45 às 17h15. Aos sábados, das 8h30 às 13h.


Centenário

Rua Lourival Wendler, 600 (esquina com a Rua Ceilão, atrás do Terminal de Ônibus Centenário), Cajuru.

Fone: 3581-1687

Terça a sexta-feira, das 8h45 às 17h15. Aos sábados, das 8h30 às 13h.


Fazendinha

Rua Carlos Klemtz, 1.600 (ao lado do Terminal de Ônibus Fazendinha), Fazendinha.

Fone: 3350-3788 / 3350-3789

Terça a sexta-feira, das 8h45 às 17h15. Aos sábados, das 8h30 às 13h.


Jardim Paranaense

 

Rua Dr. Benedicto Siqueira Branco, 222 (final da Rua Francisco Derosso), Alto Boqueirão.

 

Fone: 3378-1795

Terça a sexta-feira, das 8h45 às 17h15. Aos sábados, das 8h30 às 13h.


Maria Angélica

Rua Prof. Júlio Theodorico Guimarães, 388-A (esquina com Rua Monte Sinai), Pinheirinho.

Fone: 3212-1493

Terça a sexta-feira, das 8h45 às 17h15. Aos sábados, das 8h30 às 13h.


Matriz

Rua da Cidadania Matriz (Praça Rui Barbosa), Centro.

Fone: 3313-5822

Terça a sexta-feira, das 8h45 às 17h15. Aos sábados, das 8h30 às 13h.


Nossa Senhora da Luz

Rua Sérgio Carlos Martins Leal, s/nº (ao lado da Creche Tia Eva), CIC.

Fone: 3246-5539

Terça a sexta-feira, das 8h45 às 17h15. Aos sábados, das 8h30 às 13h.


Pilarzinho

Rua Profº Hostilio de Araújo, s/nº, Pilarzinho.

Fone: 3339-9581

Terça a sexta-feira, das 8h45 às 17h15. Aos sábados, das 8h30 às 13h.


Sabará

Rua Antônio Pastre, 420 (Esq. Rua São Perpétuo e Estrada Velha do Barigui), CIC.

Fone: 3249-6258

Terça a sexta-feira, das 8h45 às 17h15. Aos sábados, das 8h30 às 13h.


Santa Efigênia

Rua José Carlos Puppi, s/nº (fundos do Terminal de Ônibus Barreirinha), Barreirinha.

Fone: 3354-6944

Terça a sexta-feira, das 8h45 às 17h15. Aos sábados, das 8h30 às 13h.


Santa Felicidade

Via Vêneto, 1.540, Santa Felicidade.

Fone: 3272-9649

Terça a sexta-feira, das 8h45 às 17h15. Aos sábados, das 8h30 às 13h.


Vila São Pedro

Rua Hermenegildo Bonat, 408-B, Xaxim.

Fone: 3248-7202 / 3246-4452

Terça a sexta-feira, das 8h45 às 17h15. Aos sábados, das 8h30 às 13h.

O primeiro jornal de Curitiba com conteúdo em Realidade Aumentada.