MON inaugura mostra sobre cinco séculos de gravura na Europa

O Museu Oscar Niemeyer (MON) recebe, em parceria com o Itaú Cultural, a exposição “Imagens Impressas: um Percurso Histórico pelas Gravuras da Coleção Itaú Cultural”. A partir de quinta-feira (30), um conjunto de cerca de 140 gravuras, que apresentam as diferentes técnicas de gravuras dos séculos XV a XIX, estará disponível ao público.

“Realizar esta exposição em parceria com o Itaú Cultural solidifica as relações entre instituições e oferece ao público a oportunidade única de conferir obras fundamentais para a história da arte”, ressalta Juliana Vosnika, diretora-presidente do MON.

Para o secretário de Estado da Cultura, João Luiz Fiani, a parceria com o Itaú Cultural é de extrema importância porque torna possível a aproximação do público paranaense com arte de grande qualidade. “Esta mostra representa um momento único e especial para o Museu Oscar Niemeyer. Gravuras singulares e que mostram um breve panorama do que melhor se produziu por artistas geniais em séculos”, disse.

OBRAS – Com curadoria de Marcos Moraes, estão presentes artistas como Edouard Manet, Eugène Delacroix, Francisco Goya, Henri de Toulouse-Lautrec e Rembrandt van Rijn, em que é apresentado um lado inusitado da produção artística deles. A exposição conta, ainda, com obras de Martin Schongauer, um dos primeiros gravuristas de que se tem notícia. De sua autoria, a gravura Cristo Carregando Cruz, de 1475, é a mais antiga da exposição.

Outros destaques presentes são os artistas do século XIX Gustave Doré e as ilustrações que fez para o livro A Divina Comédia, de Dante Alighieri, e o caricaturista Honoré-Victorien Daumier. Dele, são expostas diversas imagens, sendo uma delas o original de uma charge publicada no jornal Le Charivari, um dos principais veículos franceses no período. A imagem é exposta de forma perpendicular à parede em uma moldura de acrílico, de modo a estar visível também a parte de trás da folha do jornal, com notícias e anúncios.

NÚCLEOS – No espaço expositivo, as obras são divididas em núcleos, cada um deles representando um século. Um texto explicativo situa o visitante quanto às técnicas presentes no período, bem como as principais temáticas representadas. Verbetes explicam as técnicas: xilogravura, grafia em metal e seus diversos tipos, como buril, água-forte e água-tinta, e litografia. De forma didática, a exposição se vale de um recorte representativo dessa modalidade artística, pela diversidade de técnicas, temas e destinações das gravuras.

Como observa o curador, a imagem impressa acompanha a humanidade desde os seus primórdios. “Podemos remontar essa trajetória às primeiras mãos marcadas, por meio de pigmentos, nas paredes de grutas e cavernas. Para abordar esse meio de criação é preciso, portanto, delimitar um escopo. A mostra Imagens Impressas propõe, assim, um percurso histórico pelas gravuras do Itaú Cultural, mapeando cinco séculos da produção gráfica europeia, iniciando-se por xilogravuras produzidas no século XV”. A partir desse período, aprimoram-se as técnicas, são incorporadas inovações e é desenvolvida a linguagem gráfica. Por esse caminho, no século XIX, a gravura chega à autonomia. Esta exposição se inscreve nas ações promovidas pelo Itaú Cultural para garantir o acesso ao Acervo de Obras de Arte do Itaú Unibanco, que hoje conta com aproximadamente 15 mil itens.

CURADORIA – Marcos Moraes é doutor em Arquitetura e Urbanismo (2009), graduado em Direito (1979) e Artes Cênicas (1987), com especialização em Arte-Educação e Museu, todos pela Universidade de São Paulo. Atualmente é coordenador do curso de Artes Plásticas e de Produção Cultural, bem como dos Programas Internacionais de Residência Artística (Cité des Arts e Residência Artística FAAP), ambos da Fundação Armando Alvares Penteado FAAP, onde também é docente (graduação e pós-graduação) em História da Arte e Desenvolvimento de Projeto Integrado.

Serviço

Exposição “Imagens Impressas: um Percurso Histórico pelas Gravuras da Coleção Itaú Cultural”
Abertura: 30 de março, quinta, às 19 horas, entrada gratuita
Até 27 de julho de 2017
Visitação: terça a domingo, das 10h às 18h
Ingressos: R$ 12 e R$ 6 (meia-entrada)
Sala 3

Museu Oscar Niemeyer – Rua Marechal Hermes, 999
41 3350 4400

museuoscarniemeyer.org.br

Dias e horários especiais
Toda quarta gratuita com programação especial: 10h às 18h
Primeira quinta do mês: horário estendido até 20h, gratuito após as 18h.
Programação especial todos os domingos