Novos guardas municipais começam a trabalhar nas praças e ruas do Centro

Quem passa pelo Centro de Curitiba já percebeu uma presença maior de guardas municipais nos arredores das praças 19 de Dezembro, Tiradentes, Santos Andrade, Osório e Zacarias, além do Passeio Público, da Rua XV de Novembro e do Largo da Ordem. Os 60 novos profissionais contratados pela corporação estão tendo agora o primeiro contato com a atividade que vão exercer.

Essa “prova prática” é a última fase do curso de formação pelo qual eles passaram nos últimos quatro meses. “Nesse primeiro contato com a atividade, eles estão prestando um serviço estritamente social, de orientação às pessoas. Nós observamos as condutas, a postura e a disciplina de cada um”, explica um dos coordenadores dessa etapa, o guarda municipal Marcelo Boza.

Os novos guardas são supervisionados, em todos os locais do estágio, por profissionais mais experientes. Caso precisem, pedem apoio da viatura mais próxima para abordagens e encaminhamentos à autoridade policial.

Recém-saído do Exército, Marcos Carneiro, 24 anos, procurou na Guarda Municipal uma carreira próxima dos serviços que desempenhava até então. “Vi na Guarda Municipal um trabalho mais cidadão e mais comunitário e achei interessante”, diz ele, que nesta quinta-feira (20/9) fazia patrulhamento a pé e em dupla na Rua XV de Novembro e adjacências, com apoio de módulo móvel da corporação.

Inspirado pelo irmão que trabalha em uma Guarda Municipal da Região Metropolitana de Curitiba, Marcelo Stacowski, 35 anos, é outro integrante do estágio supervisionado. “Está sendo corrido e divertido, ao mesmo tempo. A guarda montou uma estrutura muito boa para a gente, estão junto o tempo todo”, diz ele.

Preparação

Este foi o 26º curso de formação dos guardas municipais de Curitiba e teve 740 horas-aula, com provas ao fim de cada módulo. Os conteúdos abrangem 220 horas de Cultura Jurídica e 520 horas de Técnicas e Procedimentos Operacionais. Entre as disciplinas estavam Direito (Constitucional, Administrativo, Penal e Penal Processual), Antropologia, Sociologia e Direitos Humanos.

A parte prática compreende aulas sobre funções e atribuições da Guarda Municipal, postura, regras de abordagem e aulas de tiro. A nota mínima exigida em cada área é 7 e, caso não atingida, implica na eliminação do candidato. Grande parte da capacitação foi ministrada no Centro de Formação e Desenvolvimento Profissional da Guarda Municipal.

São apenas três mulheres entre os novos profissionais. Elas têm entre 33 e 38 anos. Já os homens têm de 22 a 53 anos. Apesar de não ser exigência do concurso, em geral os classificados têm nível de formação superior.

Como resultado do Consórcio Intermunicipal das Guardas Municipais, que envolve corporações de outras nove cidades da Região Metropolitana, eles tiveram a companhia de 14 servidores de Mandirituba, Fazenda Rio Grande e Quatro Barras, além de Mauá da Serra, município da região norte do Estado.