O desassossego em exposição: mostra reúne seis ilustradores

A exposição Sentença do Desassossego, em cartaz na Gibiteca, mexe com as inquietações. A mostra, que reúne trabalho de seis artistas, fala dos sentimentos de cada um deles, mas também do público. 

“Minhas inquietações são expressadas no meu trabalho”, diz a artista Renata Lima, de 24 anos, que participa da mostra. Suas obras reúnem ilustração e bordado, no papel vegetal, que segundo a artista é o material que mais se aproxima da pele, tanto pela textura como pela transparência. “A arte tem a função de comunicar. O artista pode dizer ao público: você não é o único que passa por isso. A arte tem a capacidade de dialogar, curar, ferir”, explica .

A exposição pode ser vista até o dia 25 de julho. O curador  é o artista João Ferreira, de 23 anos. Ele diz que a exposição fala do processo criativo de cada um dos ilustradores. “É quando ele coloca para fora o seu sentimento. São os aforismos, sentenças curtas que tem essa narrativa, expressa através da linguagem. A escolhida aqui é a da ilustração”.

Sentença do Desassossego, segundo Ferreira, é um espaço repleto de gritos, sussurros, longas conversas e breves conselhos, pois a exposição interage o tempo todo com o público, seja pela forma ou pelas cores. Também participam da mostra os ilustradores Vinicius Prates, Raphaela Corsi, Marcelo Rosa e Edgar Franco.

Renan Guedes Gumiel trabalha como porteiro, é formado em Gravura pela Faculdade de Belas Artes e gostou do que viu. “Os trabalhos estão muito bem feitos, bem variados. Todos que visitarem a exposição vão gostar”.

Serviço: exposição Sentença do Desassossego

Local: Solar do Barão/Gibiteca de Curitiba (Rua Presidente Carlos Cavalcanti, 533, São Francisco)

Horário: de terça-feira a sábado, das 9h às 12h e das 14h às 18h. Até 27 de julho

Telefone: 3321-3250

E-mail: gibitecadecuritiba@fcc.curitiba.pr.gov.br