O Preço da Angústia

O Preço da Angústia

A grande incógnita da vida encontra-se na palavra tempo. Sim, nesta simples palavra, pois, o ser humano está cada vez mais condicionado a ocupar o seu tempo, a produzir, a ser útil, pois, somente assim ele terá algum valor e status perante a sociedade. A frase que mais ouço falar é não tenho tempo para cuidar de mim, não tenho mais tempo para meus familiares, não tenho tempo para ver meus amigos, não tenho tempo para me dedicar ao meu marido/esposa e filhos.

No entanto, na primeira oportunidade de tempo, o que você faz? Procura uma maneira de ocupa-lo! Surge um feriado, um final de semana, um dia livre na agenda e logo você pensa: o que eu posso fazer neste dia?

A vida precisa de pausas, de repensar, reorganizar. Precisa de feedback, é entendendo o que você está fazendo com a sua vida que te permite crescer, evoluir.

Agora, quando teus dias passam a serem iguais e você vai vivendo de osmose, de regularidade de atos habituais e rotineiros, sua vida começa a perder o sentido. Esse é o grande dilema da vida moderna – a falta de sentido e o vazio do seu ser. Quando você já não encontra um proposito pelo qual vale a pena lutar.

A vida precisa de pausas, de reticencias para você descansar e se conectar com o seu propósito. Essa incapacidade de pausas que algumas pessoas vivenciam é uma forma de depressão, de angustia, de afastamento do eu.

É mais fácil eu ocupar meu tempo, do que eu avaliar o que me incomoda de fato, o que está me angustiando e eu finjo não ver. Ás vezes até vejo que meu trabalho não está legal, que meu casamento está ruim, que meus filhos estão me dando problema…Depois eu vejo isto, agora estou ocupada. Mas, o dia passa, a semana acaba, o mês termina e o ano chega ao fim!

Quando o ano chega ao fim, vem a terrível sensação: o que eu fiz da minha vida? O que aconteceu comigo neste ano? O que eu vivi? Quais foram os meus melhores momentos?

O ser humano não sabe o que quer, nem ao menos o que sente, e fica numa reclamação constante de angustia, de abafamento de seus desejos e de suas ideias. Ficando em conflito consigo mesmo.

 

Aí você descobre de maneira angustiante que você não fez nada, que você nunca teve tempo para si e para as pessoas que ama. E de novo você promete, no próximo ano eu vou emagrecer, eu vou ter um trabalho melhor, eu vou viajar mais, eu vou dar mais atenção aos relacionamentos, aos familiares e aos amigos. E o que acontece? Nada, você não tem tempo, nem mesmo para as mudanças que você percebeu serem necessárias e novamente você entra na roda gigante chamada ANGUSTIA.

A angustia é uma das mais terríveis sensações psicológicas, pois ela gera medo, insegurança, baixa autoestima. Te deixa muitas vezes deprimido, com falta de humor, ressentido, rancoroso.

A angustia resume-se em desespero e isto tornou-se parte da condição humana. Pois, é o reconhecimento do NADA, a angustia surge quando há falta de sentido, de objetivo Como eu não sei o que eu busco, logo o NADA eu encontro, a não ser a própria angustia!!!

É hora de encararmos as nossas angustias, as nossas aflições se quisermos novos resultados. Chega do eu quero e vamos para o eu faço. Cuide do seu bem mais precioso: A Sua Vida!

Diretora técnica da Conecta Vitta Clinic, Psicóloga Clínica, Hospitalar e Organizacional, Coach de Emagrecimento e de Relacionamento.