Patrícia Santos/CPB

Ouro em Londres, Shirlene Coelho é a porta-bandeira do Brasil nas Paralimpíadas Rio 2016

A atleta goiana Shirlene Coelho, medalhista de ouro em Londres 2012 e prata em Pequim 2008, no lançamento de dardo, na categoria F37, para atletas com paralisia cerebral vai ser a porta-bandeira da delegação do Brasil durante a abertura dos Jogos Paralímpicos Rio 2016.

Esta é a primeira vez que uma mulher conduzirá a bandeira verde e amarela nos Jogos Paralímpicos.

Competindo com 17 atletas, todos homens, a campeã mundial e paralímpica Shirlene Coelho foi eleito com 20% dos votos para ser a porta-bandeira do Brasil na cerimônia que acontece na quarta-feira (7), no Estádio do Maracanã, na Zona Norte do Rio. Na eleição, que foi aberta, com a participação dos 286 atletas brasileiros, Shirlene ficou à frente do judoca Antônio Tenório, que tem cinco medalhas em jogos, que obteve 18% dos votos, e do velocista Yohansson Nascimento, outo nos 200m em Londres 2012. Shirlene, que tem paralisia cerebral desde a gestação, é representante da maior equipe da delegação brasileira nas Paralimpíadas, que é o atletismo, que contará com 61 atletas. Além do lançamento de dardo, na Rio 2016, a campeã mundial e paralímpica via disputar mais duas provas, o arremesso de peso feminino na categoria F37 e o lançamento de disco feminino na categoria F37/38. A delegação brasileira será a maior da história dos Jogos Paralímpicos, são 286 atletas, sendo 184 homens e 102 mulheres, participando em 22 modalidades. A meta para os Jogos Rio 2016, é a d que o Brasil fique no quinto lugar no quadro geral de medalhas.