Com dois títulos de campeão brasileiro, o Paraná representado pelo time de Curitiba se consagra como potência do rugby nacional. A evolução na modalidade motivou a Confederação Brasileira de Rugby a tornar a capital paranaense uma das sedes para treino. Localizada na Secretaria do Esporte e Turismo do Paraná, a academia de rendimento já está sendo utilizada para preparar jogadores das seleções brasileiras masculina e feminina da modalidade. Curitiba, 02/08/2017. Foto: Divulgação SETU

Parceria com o Estado garante espaço para treinos de Rugby

Com dois títulos de campeão brasileiro, o Paraná, representado pelo time de Curitiba, se consagra como potência do rugby nacional. A evolução na modalidade motivou a Confederação Brasileira de Rugby a tornar a capital paranaense uma das sedes para treino. Localizada na Secretaria do Esporte e do Turismo do Paraná, a academia de rendimento já é utilizada para preparar jogadores das seleções brasileiras masculina e feminina da modalidade.

O manager da Seleção Brasileira, Mário Efraim, recebeu nesta terça-feira (01) o secretário estadual do Esporte e do Turismo, Douglas Fabricio, no local de treinamento. O secretário ganhou uma camiseta do time para celebrar a parceria com o Governo do Estado – parceria esta que após tornar o Curitiba Rugby expoente nacional da modalidade inicia um processo de formação de atletas para a seleção.

“Com o apoio da Secretaria de Esporte e do Turismo, o Paraná hoje é um polo profissional do rugby. Hoje temos jogadores na seleção. Alguns deles disputaram os Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro no ano passado. E hoje é um importante dia para celebrar, pois nossa seleção juvenil venceu pela primeira vez o Chile com cinco jogadores nossos”, comemora Mário.
O pioneiro do Rugby em Curitiba, Aluisio Dutra, que iniciou suas atividades ainda na década de 1980, diz que “a capital paranaense e o Estado se tornaram centros qualificados, equivalentes a São Paulo, que tem tradição na modalidade”.

O secretário do Esporte e do Turismo afirma que é gratificante saber que o Governo faz parte do crescimento da modalidade no Estado e no Brasil. “É uma satisfação perceber que o nosso trabalho em conjunto resulta na formação de tantos atletas de base e de rendimento. E principalmente em uma modalidade que cresce tanto no País”, disse o secretário.

“Além da estrutura que oferecemos, o Governo do Estado tem o programa de bolsas Talento Olímpico do Paraná, que inclui 16 jogadores e um técnico, totalizando 80 mil reais para a modalidade ao ano. É um investimento que vale a pena”, acrescenta Fabrício.

EVOLUÇÃO – Dois atletas de rugby que fazem parte do Talento Olímpico do Paraná participaram dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro em 2016. Na seleção brasileira masculina Gustavo Albuquerque, e na seleção brasileira feminina Haline Scatrut. “A modalidade chegou a outro nível no Brasil após se tornar olímpica e fazer parte da edição no Rio de Janeiro”, afirma Aluisio.
Atualmente a seleção brasileira está no TOP 30 do ranking mundial. O time foi para a 29° colocação após vencer pela primeira vez um país europeu: Portugal. Na categoria juvenilvenceu também pela primeira vez a seleção do Chile (28° no ranking).