Polícia Civil diz que nadadores dos EUA promoveram vandalismo

Os quatro nadadores dos EUA que relataram um suposto assalto no Rio de Janeiro na madrugada do último domingo mentiram sobre o episódio. Quem afirma é a Polícia Civil em entrevista coletiva nesta quinta-feira (18).

Segundo as investigações, os atletas teriam, na verdade, se envolvido em uma briga com seguranças de um posto de gasolina na Barra da Tijuca. O chefe da Polícia Civil, Fernando Veloso, afirmou que “a única verdade que eles contaram é que eles estavam bêbados”,

Veloso disse que ainda não é possível dizer de que crimes os atletas podem ser acusados. Segundo ele, os nadadores provocaram “atos de vandalismo” no banheiro do posto. Com a confusão, funcionários vieram ver o que acontecia, tentando controlar a situação.

A conclusão preliminar da Polícia Civil é de que os atletas teriam saído da festa, ido ao banheiro e quebrado o espelho.

Seguranças pediram ao taxista que não partisse com os atletas, mas esperassem a chegada da polícia. Os atletas não queriam aguardar a chegada da polícia. Uma terceira pessoa se ofereceu para funcionar como intérprete entre inglês e português. Essa testemunha ainda deve ser ouvida.

Foi informado também que o intérprete negociou para que eles ressarcissem vandalismo no posto uma quantia no valor de R$100 e US$ 20.

O chefe da Polícia Civil ainda comentou que “os cariocas viram o nome da cidade manchado por versão fantasiosa. Seria nobre e digno pedir desculpas”.