Polícia prende mandante de incêndios a ônibus em Cascavel

Um homem apontado como o mandante das ações contra ônibus na cidade de Cascavel, Oeste do Paraná, foi preso no fim da tarde desta terça-feira (29). Ele foi detido por policiais que integram a força-tarefa, formada por mais de 100 policiais civis e militares, para intensificar o policiamento nas ruas da cidade e investigar as causas dos ataques ao transporte coletivo registrados na noite desta segunda-feira.

Além dele, foi detido também outro homem suspeito de atear fogo num carro, também na noite de segunda-feira. Agora, são quatro pessoas presas e dois adolescentes apreendidos suspeitos de envolvimento com os incêndios criminosos.

Logo depois dos primeiros incêndios criminosos, a Secretaria da Segurança Pública e Administração Penitenciária do Paraná montou uma força-tarefa com policiais do Centro de Operações Policiais Especiais (Cope), da Divisão Estadual de Narcóticos (Denarc), assim como policiais militares da Companhia de Polícia de Choque e da Rotam (Rondas Ostensivas Tático Móvel), que foram deslocadas para a região para colaborar com as investigações. Um helicóptero da Polícia Militar também está auxiliando o trabalho dos policiais.

O secretário da Segurança Pública, Wagner Mesquita, esteve em Cascavel na terça-feira e se reuniu com as forças de segurança locais. Para Mesquita, a prisão e apreensão de suspeitos é resultado da força-tarefa implantada na cidade. “A resposta foi imediata, no entanto é necessário avaliar e alinhar as ações porque resta agora identificar a cadeia de comando dessas ações, de onde tenha partido.

A ordem pra esse tipo de ataque com foco na investigação, e persiste também o trabalho ostensivo de prevenção”, ressaltou. “Não há nenhum indício de que haja articulação de facções criminosas nessas ações criminosas ocorridas em Cascavel. Em parceria com outros estados, mantemos um acompanhamento forte das atividades destas facções”, completou o secretário, citando que o Departamento de Inteligência do Paraná e do Departamento de Execução Penal (Depen) estão atentos a movimentações de presos.