Treze pessoas de uma quadrilha especializada em roubo, furto e adultera‹o de ve’culos foram presas durante a opera‹o Face Norte, deflagrada na manh‹ desta quarta-feira (14) pela Delegacia de Furtos e Roubos de Ve’culos (DFRV), da Pol’cia Civil do Paran‡. Curitiba, 14/09/2016 Foto: SESP

Polícia prende quadrilha suspeita de roubar 100 carros em Curitiba

Treze pessoas de uma quadrilha especializada em roubo, furto e adulteração de veículos foram presas durante a operação Face Norte, deflagrada na manhã desta quarta-feira (14) pela Delegacia de Furtos e Roubos de Veículos (DFRV), da Polícia Civil do Paraná. Seis pessoas são consideradas foragidas da Justiça. Este é o primeiro resultado da megaoperação Impacto, lançada nesta mesma quarta, em resposta aos crimes patrimoniais registrados no primeiro semestre de 2016. A operação Impacto integra todas as forças de segurança do Paraná.

Durante seis meses, policiais da DFRV mapearam a ação desta organização criminosa suspeita de roubar e/ou furtar mais de 100 veículos durante este período. Destes, cerca de 60% foram recuperados ao longo da investigação. Os carros escolhidos eram dos mais variados modelos: de populares até carros de luxo como BMW.

De acordo com a investigação, esta quadrilha realizava em média de três a cinco crimes por semana. Só no último feriado de 7 de Setembro, os integrantes desta organização criminosa teriam negociado a venda de seis veículos roubados e furtados. Estes carros eram revendidos por um valor que variava de R$ 1,5 mil até R$ 3 mil, depois eram adulterados e revendidos. No curso da investigação, dois homens da quadrilha foram mortos.

REDUZIR FURTOS E ROUBOS – “A audácia desta quadrilha era tanta que eles escolhiam os carros que seriam roubados, conforme a encomenda. A prisão desta quadrilha especializada vai reduzir o número de furtos e roubos de veículos nos bairros da região norte de Curitiba. Combater o roubo de carro é de extrema importância uma vez que estes veículos depois são usados em outros crimes”, disse o secretário de Estado da Segurança Pública, Wagner Mesquita.

Durante a operação, a polícia apreendeu drogas (maconha e crack), duas armas calibre 9mm, duas motos, sendo uma Honda Titan, roubada no Centro de Curitiba no dia dois deste mês, dois veículos, além de outros objetos oriundos do tráfico de drogas. “Com esta ação policial pretendemos encerrar a atuação desta organização criminosa que agia na região norte da Capital. Uma nova operação será deflagrada na região sul, com o objetivo de tirar esses suspeitos de circulação, bem como diminuir os crimes contra o patrimônio”, afirmou o delegado-titular da Delegacia de Furtos e Roubos de Veículos, Wagner Holtz.

A quadrilha se dividiu em três núcleos: operacional, adulterador e receptador/intermediador. O operacional era formado pelos roubos e furtos de veículos, uma outra parte fazia adulteração dos sinais identificadores e o núcleo dos receptadores era formado pelas pessoas que compravam os veículos adulterados ou mesmo intermediavam a venda.

“Esta quadrilha deve ter movimentado nos últimos seis meses cerca de R$ 250 mil só negociando carros furtados e roubados. As investigações vão prosseguir no sentido de localizar e identificar outros compradores dos veículos adulterados e imputar a responsabilidade penal para aquele cidadão que se diz trabalhador, mas aproveita a oportunidade para comprar um veículo adulterado, o que acaba por fomentar os furtos e roubos de automóveis”, disse o delegado Rodrigo Souza, responsável pela investigação.

Além das prisões, os policiais ainda cumpriram 10 mandados de condução coercitiva (quando o investigado é levado para prestar depoimento), e outros 30 de busca e apreensão. A operação aconteceu em Curitiba e região metropolitana e contou com a participação de cerca de 90 policiais civis do Centro de Operações Policiais Especiais (Cope), Tático Integrado de Grupo de Repressão Especial (Tigre), Divisão de Crimes Contra o Patrimônio (DCCP), Divisão Estadual de Narcóticos (Denarc) e o Grupamento de Operações Aéreas (GOA).

Os integrantes da quadrilha responderão pelos crimes de roubo agravado, receptação, adulteração de sinal identificador de veículo, corrupção de menores, associação criminosa, porte/posse de arma de fogo.