Para facilitar o acesso à informação sobre a importância dos Portos do Paraná para a economia nacional, esclarecer dúvidas sobre os jargões portuários e prestar contas, a Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina (Appa) lançou o Porto em Números, Caderno de Resultados e o Dicionário Básico Portuário. Foto: Divulgação

Portos do Paraná lançam série de publicações para todos os públicos

Você sabia que o volume total de mercadorias movimentado pelo Porto de Paranaguá corresponde a um terço do Produto Interno Bruto do estado do Paraná? Sabia que a atividade portuária é responsável por mais de 20% dos empregos gerados na cidade de Paranaguá? Que “cabeço”, na linguagem portuária, é a coluna de ferro instalada no cais onde se amarram os navios?

Para facilitar o acesso à informação e à pesquisa sobre a importância dos Portos do Paraná para a economia nacional, esclarecer dúvidas sobre os jargões portuários e prestar contas, a Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina (Appa) lançou um conjunto de publicações. São eles: o Porto em Números, Caderno de Resultados e o Dicionário Básico Portuário.

“São três publicações muito úteis e que poderão ser utilizadas por diferentes públicos”, explica o diretor-presidente da Appa, Luiz Henrique Dividino. O Porto em Números, por exemplo, é um material de consulta para técnicos, profissionais da área portuária, de logística e de comércio exterior. O Caderno de Resultados detalha os principais projetos da Appa nesta década. Já o dicionário básico traz todos os termos utilizados no setor portuário e os seus significados.

Os três materiais estão à disposição para download no site dos Portos do Paraná (www.portosdoparana.pr.gov.br). Para os interessados no material impresso, basta entrar em contato com a Assessoria de Comunicação da Appa solicitando um exemplar.

PORTO EM NÚMEROS – A revista Porto em Números traz informações quanto à estrutura dos Portos de Paranaguá e Antonina, aspectos gerais e operacionais, a evolução histórica da movimentação de mercadorias e o impacto dos Portos do Paraná na economia do país, das cidades e do Paraná.

A publicação mostra que nos últimos seis anos, por exemplo, o Porto de Paranaguá expandiu em 41,3% sua movimentação total de produtos.

O Porto em Números também traz informações sobre a capacidade de armazenagem de cargas, a bandeira e a nacionalidade mais frequentes dos navios que atracam no Porto de Paranaguá, os principais destinos das exportações e origens das importações.

O material deixa evidente a importância dos terminais paranaenses no contexto do comércio exterior do país, como segundo maior importador e exportador de cargas do Brasil e principal canal de movimentação de fertilizantes, farelo de soja e óleo vegetal.

Este patamar faz com que a balança comercial do porto ultrapasse os 30 bilhões de dólares ao ano, um montante que representa 35% do PIB do Estado do Paraná e superior, por exemplo, à economia de estados como Ceará e Pará ou de países como Bolívia e Panamá.

Com todo este impacto, a atividade portuária corresponde a 20% dos empregos gerados na cidade de Paranaguá e é responsável por injetar 25% dos salários pagos na cidade mensalmente.

DICIONÁRIO – Sucesso de público, o Dicionário Básico Portuário chega à terceira edição, agora atualizada de acordo com a Nova Lei dos Portos, de 2013. São mais de 700 verbetes e definições próprias da linguagem portuária explicados para o público geral.

Além disso, o livro conta com uma tabela de conversões de medidas marítimas e portuárias e um glossário de Termos do Comércio Internacional.

CADERNO DE RESULTADOS – O objetivo do Caderno de Resultados é apresentar os avanços, programas e ações em andamento nos Portos de Paranaguá e Antonina. São 15 capítulos que destrincham os investimentos em infraestrutura, logística e redução dos gargalos para exportação e importação.

Entre os R$ 511,9 milhões investidos nos últimos cinco anos estão a primeira reforma do cais feita com recursos próprios, a troca dos shiploaders, as campanhas de dragagem e os projetos de expansão previstos para os próximos anos.

O caderno também apresenta os 17 programas ambientais permanentes realizados pela Appa.