Quando o desafio é decidir

Todos nós em algum momento de nossas vidas, precisamos tomar algumas decisões. A maioria das pessoas tem crises de ansiedade só de pensarem qual decisão irão tomar a cerca de determinado assunto.

Muitas vezes, são assuntos do cotidiano, como: o que farei no jantar de hoje? Troco meu filho de escola? Será que faço academia 3 ou 5 vezes na semana?

Se para decisões simples, as pessoas já se sentem angustiadas, imagina para decisões mais complexas como: mudo de cidade? Troco de emprego? Casar/separar? Ter filhos?

As pessoas tendem a ficarem muito angustiadas diante da difícil arte da tomada de decisão.

O que fazer quando estamos diante de situações que exigem o nosso posicionamento?

São os desafios que nos movem e nos fazem ir além, é através do desafio que a vida faz sentido, pois, completa-se o ciclo do nascer-crescer-morrer.

Por este motivo, as decisões são tão difíceis de serem tomadas, as pessoas criam a falsa ideia, de que uma decisão tomada hoje é um destino fadado. Quando, na verdade, podemos rever nossas decisões diariamente.

Aliás, o ideal para que o ser humano possa viver bem, em paz consigo e com suas decisões, é diariamente fazer uma reflexão de como foi o seu dia, para avaliar o que deve ser mantido e o que deve ser mudado. Somos dinâmicos, não estáticos e é este poder que nos move em direção aos nossos objetivos.

Aqueles que vivem na mesmice, sem grandes alegrias, sem gratidão. Tende a ser uma pessoa amargurada, frustrada e de difícil convivência, pois, nem a própria pessoa se sente atrativa, imagina aos demais.

O grande problema é não saber lidar com suas frustrações, é por esta razão que se torna tão desafiante decidir. Não é a decisão em si que gera angustia, medo, incerteza, mas, sim a possibilidade de frustrar-se, fazendo com que esta possibilidade seja superior as alegrias, conquistas e vitorias que possam vir junto com a sua decisão.

Ao menor sintoma de que algo não está bem, seja no campo familiar, profissional, educacional ou até mesmo de relacionamentos, é necessário fazermos uma pausa, refletir e agir. Sim, agir! Não podemos deixar para depois, outro grande problema da humanidade: a procrastinação!

Para tomar uma decisão de maneira consciente e segura, você deve aprender a reencontrar o sentido da sua vida, descobrir quais serão seus ganhos e suas perdas através da decisão que irá tomar. Sabendo isto, você se torna mais seguro e autoconfiante para tomar a sua decisão, o importante é você identificar as causas que vão de encontro a tal objetivo, normalmente, elas são emocionais, elas embasam a sua história pregressa.

Uma boa decisão é sempre aquela que está muito bem estruturada na identificação dos seus ganhos e perdas para não gerar angustia e sim, confiança e realização!

Diretora técnica da Conecta Vitta Clinic, Psicóloga Clínica, Hospitalar e Organizacional, Coach de Emagrecimento e de Relacionamento.