Região do Terminal Guadalupe tem operação contra tráfico e prostituição

Reprimir o tráfico de drogas, os crimes de roubo em ônibus e o favorecimento à prostituição foram os objetivos de operação conjunta deflagrada pela Secretaria Municipal da Defesa Social e a Polícia Militar na tarde desta quinta-feira (22/2) na região do Terminal Guadalupe e da Praça Eufrásio Correia.

Estabelecimentos como lanchonetes e hotéis de alta rotatividade foram fiscalizados por equipes da Guarda Municipal e da Ação Integrada de Fiscalização Urbana (Aifu), coordenada pela PM. “A ação faz parte de uma série planejada para um Centro mais seguro para a população de Curitiba”, afirmou o secretário municipal da Defesa Social, Guilherme Rangel.

Com o apoio de efetivo do Grupo de Operações Especiais (GOE) e do Grupo de Operações com Cães (GOC), ambos da Guarda Municipal, e do 12º Batalhão da PM, foram feitas abordagens em todo o perímetro. Em meio às buscas, os policiais e guardas municipais encontraram maconha escondida dentro de uma placa comercial e no interior de uma boate, com auxílio dos cães do GOC.

 

 

Também foram apreendidas pequenas quantidades de maconha e crack em hotéis de alta rotatividade e uma arma de airsoft – jogo de simulações de operações policiais com projéteis não letais. Uma pessoa foi detida em uma lanchonete por porte de drogas e outra por desobediência. Ambas foram encaminhadas para o 12º Batalhão da Polícia Militar.

“Em parceria com as forças policiais, estamos monitorando toda a região central, mostrando a presença do poder público em praças, parques, terminais de ônibus e ruas com grande circulação de pessoas, além de identificar suspeitos da prática dos mais variados crimes, principalmente tráfico de drogas, furtos e roubos”, reforçou Rangel.

Da operação também participaram outros órgãos na vistoria dos estabelecimentos, como Superintendência de Trânsito (Setran), Secretaria Municipal do Urbanismo, Vigilância Sanitária e Corpo de Bombeiros, todos integrantes da Aifu. Uma churrasqueira elétrica utilizada para vender espetinhos – atividade não regulamentada – foi apreendida pelas equipes. “Os pontos onde ocorrem as ações são definidos previamente com base nas denúncias recebidas por meio dos telefones de emergência 190 e 181”, explicou o coordenador da Aifu, major Olavo Vianei Francischett Nunes.

Na última semana, outra operação integrada, nos mesmos moldes, aconteceu nas praças Tiradentes e Rui Barbosa. “Outras ações ostensivas estão programadas e ocorrerão na sequência”, adiantou o secretário Rangel.