Tarifa do transporte é reajustada para garantir sustentabilidade e integração do sistema

Tarifa do transporte é reajustada para garantir sustentabilidade e integração do sistema

A tarifa do transporte coletivo de Curitiba vai passar a R$ 3,70 a partir da 0h da próxima segunda-feira (1º). O reajuste leva em conta o aumento no preço de insumos, a elevação nos salários de motoristas e cobradores – que têm data-base em 1º de fevereiro – e o valor da tarifa técnica que entrará em vigor a partir de 26 de fevereiro.

A variação de 12,1% na tarifa de ônibus é significativamente inferior ao de outros serviços públicos, como luz (68,95%) e água (21,56%).

Além disso, a nova tarifa mantém o peso da passagem do ônibus em relação ao salário mínimo no menor patamar dos últimos dez anos. De 2005 a 2008, a compra de 50 passagens de ônibus representou, na média, 26,3% do salário mínimo. De 2013 a 2016, já levando em conta o novo valor, esse percentual cai para 20,2%. Em 2005, esse peso estava em 31,6%.

“Este valor assegura a continuidade da integração com a região metropolitana. Todos os meses a Prefeitura de Curitiba vem desembolsando R$ 7,5 milhões para garantir que os passageiros da região metropolitana desembarquem nos terminais da capital e estações tubo pagando uma só passagem”, afirma o presidente da URBS, Roberto Gregório.

Atualmente, em torno de 55% dos usuários recebem vale transporte e outros 15% são isentos. Os 30% restantes pagam a passagem com recursos próprios.

A nova tarifa busca recompor o equilíbrio econômico-financeiro do sistema de transporte que vem sendo comprometido há mais de uma década pela defasagem entre o que é pago às empresas (tarifa técnica) e o que é pago pelo usuário. Ou seja, há redução de receita (via tarifa do usuário) sem a efetiva redução dos custos.

“Não há espaço para demagogia, para irresponsabilidade. Esta gestão vem saneando o sistema, assumindo o controle sobre a definição dos custos do transporte. Estamos fazendo todo o esforço para termos a menor tarifa possível”, completa Gregório.

Após o reajuste, a tarifa domingueira e do Circular Centro vão passar a R$ 2,50, e a Linha Turismo terá passagem de R$ 40,00.

O presidente da Urbs lembra que a tarifa não contempla custos como a manutenção da estrutura, terminais e estações, ou a perda de receita provocada pela manutenção do transporte metropolitano integrado em Curitiba.