Vacinação contra a gripe é prorrogada até o dia 9. Postos abrem na sexta

A Campanha de Vacinação contra a gripe vai se estender até o dia 9 de junho em Curitiba. Inicialmente, a imunização se encerraria nesta sexta-feira, 1.º de junho, mas a Secretaria Municipal da Saúde vai seguir uma orientação da Secretaria Estadual da Saúde (Sesa) para ampliar o prazo. Assim, os curitibanos ganham mais uma semana para se proteger do vírus Influenza.

O objetivo da ampliação da campanha é aumentar a taxa de cobertura vacinal no Paraná. “A Sesa entendeu que, por conta da paralisação dos caminhoneiros, muitas pessoas tiveram dificuldades de locomoção pela falta de combustível e deu um tempo a mais para que procurem os postos de saúde”, explicou o diretor do Centro de Epidemiologia de Secretaria Municipal da Saúde, Alcides de Oliveira.

Postos abertos na sexta-feira (1º/6)

Em Curitiba, os grupos indicados pelo Ministério da Saúde para a imunização (confira abaixo) terão uma oportunidade extra para se vacinar: nesta sexta-feira (1º/6) os postos de saúde estarão abertos. Neste link você encontra o endereço das unidades. A vacinação é feita das 8h às 18h.

“É mais uma forma para que possamos ampliar nossa cobertura, especialmente entre os grupos em que a procura pela vacina ainda é baixa na cidade: crianças entre 6 meses e 5 anos incompletos e as gestantes” reforçou Oliveira.

Em Curitiba, até agora foram alcançadas 44% das crianças na faixa etária indicada e 48% das gestantes. A meta da campanha na cidade é vacinar 463,5 mil pessoas dos grupos prioritários contra a gripe.

Foram feitas 322,4 mil aplicações, o equivalente a 69,5% da meta. Entre os idosos (pessoas com 60 anos ou mais), foram vacinadas 170 mil pessoas, o correspondente a 84,6 % desse grupo.

Oliveira lembra que a vacina é segura, feita com vírus morto e fragmentado, incapaz de provocar a doença. “Ela é contraindicada apenas para quem apresentou reação em doses anteriores ou tenha alergia grave ao ovo de galinha e derivados”, explicou.

A vacina está disponível com exclusividade para o público prioritário até 9 de junho. “Após esse período, se houver sobra de vacina, elas ainda serão disponibilizadas, mas não com exclusividade para o público priorizado durante a campanha”, ressaltou o diretor.


Grupos prioritários para a vacinação na rede pública

O público-alvo da campanha de vacinação contra a gripe é definido pelo Ministério da Saúde. Para tomar a vacina, basta ir a uma unidade de saúde e apresentar um documento oficial. Em alguns casos, é necessário apresentar também um documento que comprove que o usuário se enquadra em algum destes públicos:

– Crianças de 6 meses de idade a 4 anos, 11 meses e 29 dias (levar carteira de vacinação);
– Idosos com 60 anos ou mais;
– Pessoas com doenças crônicas não-transmissíveis e outras condições clínicas especiais, como trissomias, doença respiratória, cardíaca, renal, hepática e neurológica crônica, diabetes, imunossupressão, obesidade e transplantados (se não fizer o acompanhamento na unidade de saúde é preciso apresentar solicitação ou prescrição médica com o motivo da indicação da vacina);
– Gestantes, independente do mês gestacional;
– Mulheres em pós-parto, até 45 dias após o nascimento do bebê (apresentar certidão de nascimento do bebê, cartão-gestante ou documento do hospital em que ocorreu o parto);
– Trabalhadores da saúde (apresentar declaração do vínculo de atuação);
– Professores de escolas públicas ou privadas (apresentar documento que comprove vínculo de atuação, como crachá ou declaração da instituição em que trabalha);
– População indígena.