Vale do Pinhão

As incubadoras e aceleradoras que integram o Vale do Pinhão, o ecossistema de inovação de Curitiba apoiado pela Prefeitura, desempenham papel fundamental no surgimento e crescimento das startups da capital. Na próxima segunda-feira (16/4), empreendedores da cidade terão a oportunidade de conhecer, no Engenho da Inovação, as seis instituições de Curitiba que auxiliam empresas inovadoras em sua estruturação ou a dar aquele “gás” a negócios com potencial de crescimento rápido, principalmente, nos setores de tecnologia e economia criativa.

O evento, realizado pela Agência Curitiba de Desenvolvimento e Inovação, faz parte do programa Curitiba – Cidade das Startups e irá reunir representantes das incubadoras da Universidade Federal do Paraná (UFPR), da Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR), do Instituto de Tecnologia do Paraná (Tecpar) e da Federação das Indústrias do Paraná (Fiep). Além disso, os participantes poderão conhecer os programas de aceleração oferecidos pela HotMilk da Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR) e pela ACE Sul.

O Curitiba – Cidade das Startups tem, atualmente, mais de 200 empresas nascentes cadastradas. “Seu objetivo é ajudar a desenvolvê-las, através de ações de capacitação e conexões com o ecossistema de inovação. Com esse evento, queremos oferecer a oportunidade desses empreendedores terem um contato direto com as aceleradoras e incubadoras”, salienta Tiago Silva, diretor técnico da Agência Curitiba, órgão da Prefeitura responsável pelo fomento do Vale do Pinhão.

Incubadoras x aceleradoras

Mas o que diferencia uma incubadora de uma aceleradora? Em comum, essas instituições têm a finalidade de auxiliar empreendedores na etapa inicial do negócio e no crescimento, bem como melhorar a interação com o ecossistema de inovação da cidade.

Todas as empresas “incubadas” ou “aceleradas” precisam ter como foco produtos e soluções inovadoras. O que diferencia, principalmente, é que as aceleradoras trabalham com startups que já estão em processo de crescimento (com produto ou solução e clientes) e as incubadoras ajudam empreendedores em um estágio inicial. Além disso, os programas de aceleração, normalmente, incluem rodadas de investimentos por fundos parceiros e venda de participações acionárias que variam de 5% a 20%.

“As incubadoras transformam pesquisa e tecnologia em negócio. O processo de incubação, que pode durar de um a cinco anos, consiste na oferta de infraestrutura física e na capacitação e no fortalecimento de empresas que estão em um processo inicial de formalização ou que ainda não estão consolidadas”, afirma a professora Silvana Weber, coordenadora da incubadora do Programa de Empreendedorismo e Inovação da UTFPR. Ela lembra ainda que as incubadoras são uma importante ferramenta de desenvolvimento econômico, social e cultural.

Jose Gutierrez, head da ACE Sul, explica que as aceleradoras oferecem investimento, acesso a mercado e capital, mentorias e networking qualificado para startups que precisam de um crescimento rápido. “O programa da ACE Sul, por exemplo, é dividido em três fases (Validação, Investimento e Crescimento), tem duração de até um ano e os investimentos nas startups aceleradas podem chegar a R$ 750 mil, através de nossos investidores entre anjos, venture capitalists, fundos e grandes companhias”, conta ele.

As incubadoras e aceleradoras também têm em comum um processo rigoroso de seleção dos empreendedores. A seleção costuma ter várias etapas, que normalmente incluem apresentação de planos de negócio, formalização e outros quesitos dependendo da instituição.


Serviço: encontro com incubadoras e aceleradoras de Curitiba

Data: segunda-feira (16/4)

Horário: 14 horas

Local: Engenho da Inovação (Rua Engenheiros Rebouças, 1.732, Rebouças)

Mais informações e inscrições pelo site


Conheça mais sobre as seis incubadoras e aceleradoras do Vale do Pinhão:

Incubadora Tecnológica do Tecpar (Intec)

Inaugurada em 1989, a Intec é a primeira incubadora do Paraná e está localizada na Cidade Industrial de Curitiba (CIC). Já deu suporte tecnológico a mais de 100 negócios, principalmente, nas áreas de biotecnologia, tecnologia dos materiais e saúde. Atualmente, seis empresas passam pelo programa da Intec (Compracam, Provena, RR Import, Forrest Brasil Tecnologia, Neurocel e Toys for Boys – Chemistry Automotive). A Intec está com 20 vagas abertas para empresas inovadoras de Curitiba (dez para incubação dentro da Intec e outras 10 não residentes), que buscam o apoio do Tecpar para desenvolver seus negócios. As regras para o mais novo processo seletivo já estão disponíveis no último edital da incubadora no site.

Incubadora da Universidade Federal do Paraná (UFPR)

Ligada à Agência de Inovação da UFPR, a incubadora lançou, no mês passado, o TCC Inovação, um programa que está selecionando alunos em fase de elaboração de TCCs (Trabalho de Conclusão de Curso) ou TC (Trabalhos de Curso) e que têm interesse em aplicar as possíveis soluções na criação de novos negócios ou projetos e transformá-los em modelo produtivo. Os trabalhos mais consistentes poderão ser encaminhados para a pré-incubação ou incubação na Agência de Inovação UFPR. As inscrições para participar do TCC inovação podem ser feitas no site. Atualmente, quatro empresas estão incubadas na UFPR, como a construtec Colloc e a Wemseq Biotecnologia. As startups incubadas na universidade precisam ter, ao menos, um aluno da instituição com empreendedor.

Incubadora de Inovações Tecnológicas da UTFPR (IUT)

Localizada no campus do Campo Comprido, a IUT está incubando hoje seis startups (Água Salutaris, Metha Soluções, Qualabor, Mercafácil, Hop Stop Beer e Percepção de Risco). Desde 2001, quando a incubadora foi aberta, 18 empresas já passaram pelo seu programa. Em agosto, a unidade da UTFPR deverá abrir um novo edital para receber novas empresas nascentes em seu programa que tem período de incubação de até cinco anos. Na IUT, os empreendedores não precisam ter nenhum vínculo com UTFPR, mas a startup precisa já estar formalizada. Mais informações no site.

HotMilk da Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR)

A Hotmilk Aceleradora da PUCPR, localizada no Tecnoparque da universidade, no Prado Velho, foi inaugurada em 2014 e já auxiliou mais de 110 startups em estágio de validação do seu modelo de negócios por meio de seu programa de pré-aceleração. A PUC PR não aporta recursos nas startups aceleradas, mas dá acesso a investimentos  por meio de parceiros. A Hotmilk abrirá inscrições para o próximo ciclo de aceleração em maio de 2018. Serão 15 empresas selecionadas para um processo de pré-aceleração de até 180 dias no qual passarão por mais de 260 horas de capacitação em empreendedorismo e 320 horas de mentorias com empresários e investidores de diversas partes do mundo. As inscrições poderão ser realizadas pelo site.

Incubadora da Federação das Indústrias do Paraná (Fiep)

Atualmente, dez empresas com inovação aplicável a indústria estão incubadas no Centro Internacional de Inovação do Sistema Fiep, no Jardim Botânico, como GoEpik, HydroBytes Tecnhologies e Prevention (Adam Robô). As startups participam do programa por um período de um ano e empresas como PlayPet, Metha, Já Entendi, Qualicode, Ubivis, Tau Flow, CheckMob e Vidya Tecnologia da Corrosão já passaram pelo programa da Fiep. Os editais de seleção para aceleração são abertos e contínuos, com duas formas de incubação: residente e não residente. Mais informações e agendamento de reuniões podem ser enviadas para incubadorasenai@pr.senai.br.

ACE Sul

Eleita melhor aceleradora da América Latina pelo Latam Founders há dois anos, a ACE abriu em 2016 a ACE Sul, em Curitiba, em uma parceria com a  Jupter e a M3 Investimentos.  O programa da aceleradora privada é dividido em três fases: Validação (gratuito e com duração de quatro meses), Investimento (com aporte de até R$ 150 mil e mentoria com duração de até seis meses) e Crescimento (com investimento de até R$ 500 mil).  Em pouco mais de um ano de atuação no Sul do país, seis startups curitibanas já passaram pela primeira fase de “Validação”, sendo que duas seguiram para a etapa de “Crescimento” e “Aceleração” (LogComex e SocialWave). As inscrições para aceleração podem ser feitas no site.