Volta às aulas exige adaptação de horários para as crianças e as famílias

Nas férias, muitas crianças mudam de ritmo, acordam e dormem mais tarde, fazem as refeições em horários diferentes, incluindo um cardápio recheado de guloseimas. Com a volta às aulas, elas precisam se readaptar à rotina.

Para evitar problemas com o rendimento escolar e aumentar a ansiedade, o ideal é começar a prepará-las na última semana de descanso.

“Os pais e responsáveis devem ficar atentos para garantir que o retorno seja um momento tranquilo e alegre, de reencontrar os amigos e retomar os estudos. A adaptação é importante para que os estudantes mantenham o entusiasmo pelas descobertas que farão junto aos professores e tenham o aproveitamento pedagógico necessário”, explica a secretária municipal da Educação, Maria Sílvia Bacila.

 

 

No próximo dia 19, cerca de 140 mil estudantes da rede municipal (educação infantil e fundamental) voltam às aulas nas 185 escolas e nos 208 centros municipais de educação infantil (CMEIs).

Preparativos

As férias foram maravilhosas, mas as tardes de brincadeira e horários flexíveis estão com os dias contados na casa da família Albuquerque, isso porque os pais já estão preparando os filhos para o retorno à escola.

Andressa Roberta Costa, vendedora, faz questão de preparar os filhos, Bruno, 7 anos,  e Gabriel, 5, para a volta às aulas. “Conversamos bastante com eles sobre isso, principalmente porque este ano é o primeiro ano que os dois vão frequentar a mesma escola. Já providenciamos a compra do material escolar, uniforme e estamos explicando como é importante estarem descansados para começar as atividades”, disse Andressa.

A maior mudança para os meninos é no horário de levantar pela manhã. “Eles acabam acordando um pouco mais tarde durante as férias, mas se tem de acordar mais cedo, não dá trabalho algum porque já se habituaram aos combinados da família”, conta a mãe.

Ela também acrescenta que os meninos aproveitaram bem o período de férias, mas que também gostaram de ajudar na compra do uniforme e de escolher a mochila e os materiais novos.

Animado para conhecer amigos, explorar a escola nova e aprender muito, Gabriel, 5 anos, está ansioso para o primeiro dia de aula. O pai, Luciano Albuquerque, diz que o garoto conta os dias para a voltar à escola, passa um tempo lendo e escrevendo o nome e que mesmo a mudança de escola não assustou Gabriel. Esse será seu primeiro ano no ensino fundamental e o horário das aulas também mudará. “No pré ele ia de manhã e tinha um ritmo de atividades mais lúdicas e com horário flexível, agora terá mais envolvimento com a alfabetização, por isso cuidamos com a rotina para que possa estar preparado para os novos desafios”, explica o pai.

A superintendente de gestão educacional, Elisângela Iargas Mantagute, observa que os pais devem se manter presentes durante todo o ano letivo, acompanhando a vida escolar do filho. “Pais engajados podem formar estudantes mais seguros em sala de aula. Acompanhar o desenvolvimento educacional da criança aumenta as habilidades sociais e dá mais segurança para que ela se envolva no processo de aprendizagem”, esclarece Elisângela.

Menos TV e mais horas de sono

As pedagogas Daniella Lisboa e Fernanda Ziemmermann, da gerência de gestão escolar da Secretaria Municipal da Educação, destacam que é necessário reorganizar os novos horários da criança, dormindo bem e na hora certa cerca de uma semana antes das aulas voltarem. “É importante restabelecer a rotina para que a criança comece o ano adaptada”, explica Daniella.

Fernanda ressalta que também é importante envolver as crianças na preparação do material e do local que será destinado aos estudos. “Os pais podem arrumar o material escolar junto com o filho, colocar o nome dele, escolher uma mochila, encapar os cadernos e os livros. Assim, a criança já vai se familiarizando com aquilo que vai usar no decorrer do ano”, afirma.

“É importante que a família saiba que acompanhar a vida escolar não significa somente cobrar. É bem mais do que isso, inclui incentivar, dialogar, elogiar, ensinar, prestigiar, acompanhar e discutir”, complementa a pedagoga.

E, passado o começo das aulas, é interessante que os pais reservem um tempinho para conversar com os filhos sobre a rotina e conferir o caderno. Essa aproximação mostra que a família valoriza o esforço da criança, sendo mais um estímulo para que ela siga bem nos estudos.