O Athletico-PR será um dos representantes brasileiros nas oitavas de final da Copa Sul-Americana. Nesta quinta-feira (27), o Furacão recebeu o Aucas (Equador) na Arena da Baixada, em Curitiba, e venceu por 4 a 0, assegurando a liderança do Grupo D, com 15 pontos. Os equatorianos, que entraram em campo sem chance de classificação, despediram-se na terceira posição da chave, com seis pontos.

A missão do rubro-negro paranaense era somar, ao menos, um ponto em casa, diante de um adversário eliminado, para não depender do outro jogo do grupo, entre Melgar (Peru) e Metropolitanos (Venezuela), que se enfrentaram no estádio Monumental de Lima. Os anfitriões peruanos tinham que vencer, torcer pela derrota do Athletico-PR e ainda superar os brasileiros pelo saldo de gols, mas sequer fizeram a lição de casa: ficaram no zero e se despediram da competição com dez pontos.

A partida foi marcada por uma homenagem a Lucho González. Aos três minutos de bola rolando, exatamente o número que vestia às costas, o meia de 40 anos se aposentou do futebol, sendo substituído pelo volante Christian. O argentino pendurou as chuteiras como o segundo jogador mais vitorioso de seu país em todos os tempos, com 29 títulos, superado apenas pelo atacante Lionel Messi, do Barcelona (Espanha).

Quis o destino que o próprio Christian abrisse o placar, aos 25 minutos. O volante apareceu no meio da área e aproveitou o cruzamento do meia Nikão para fazer o primeiro gol rubro-negro. A pressão atleticana não arrefeceu e o lateral Abner Vinícius, de cabeça, com mais uma assistência de Nikão, aumentou a vantagem aos 36 minutos. Os brasileiros tiveram ao menos outras duas oportunidades de ampliar, mas foram ao intervalo com a vantagem de dois gols.

O Aucas esboçou uma postura diferente na segunda etapa, forçando o goleiro Santos a duas defesas importantes. Uma logo no primeiro minuto, salvando duas tentativas em sequência do atacante Gustavo Nnachi. Outra aos nove, evitando um gol olímpico do meia Ignácio Herrera. Mas quem balançou as redes foi o Athletico-PR, aos 21, em um golaço do atacante Vitinho, soltando bomba da entrada da área, pela esquerda.

Os equatorianos assustaram novamente aos 35 minutos, em chute do meia Richard Mina que parou na trave. A resposta rubro-negra veio na sequência com um gol anulado do atacante Carlos Eduardo. Nos acréscimos, Nikão e o também meia Fernando Canesin (trave) ficaram no quase. Carlos Eduardo não. Aos 46, o camisa 7 arrematou da entrada da área e fechou o marcador.