Apesar dos pesares o povo brasileiro venceu 2020, que deveria ser melhor. Mas, se continuarmos fazendo as mesmas coisas esperando resultados diferentes nada de novo acontecerá.

Quando se vê o ativismo judicial legislando, a pedido de parlamentares da oposição e o Legislativo querendo governar o país.

Quando se vê o garantismo judicial liberando milhares de bandidos, sem a preocupação com a segurança da sociedade e as coisas justas.

Quando se vê a oposição votando contra as propostas do governo, como o Marco Regulatório do Saneamento Básico.

Quando se vê ativistas, importando questões de países como Estados Unidos, com manifestações antirracistas, como se fosse um problema de um país miscigenado como o nosso.

Quando se vê “a esquerda e seus militontos tentando denegrir a imagem do Brasil no exterior.” (Ricardo Salles).

Quando se vê o uso político da pandemia, com a corrupção campeando por todo lado, por meio do Covidão e aumento dos impostos.

Quando se vê gestores adotando medidas coercitivas, sem nenhuma comprovação científica, fazendo controle social, sem consultar a comunidade, como se fossem tiranetes, que não salva a vida de ninguém. “Esta pandemia deu muita asa a projetos de ditadores.” (Ana Paula Henkel). Ninguém, de sã consciência, elege um ditador por quatro anos.

Quando se vê direitos e garantias individuais sendo infringidos pelos gestores, inclusive com desrespeito ao Art. 15 do Código Civil. Difícil crer que estamos num Estado Democrático de Direito. Vivemos num estado Político: muitos direitos já foram violados.

Quando se vê um ano cheio de pós-verdades, onde as pessoas que deveriam ser as primeiras a dar o exemplo, fazer o que pregam.

Quando se vê a educação, com as últimas colocação no ranking do PISA, parada à espera da vacina. Cadê os educadores e as aulas?

Quando se vê pressão por vacinas que não foram devidamente testadas quanto a eficácia e a segurança, em que os laboratórios não querem se responsabilizar por eventuais efeitos colaterais.

Quando se vê a cobiça internacional sobre as nossas riquezas e capacidade técnico-científica, que utilizam outros argumentos contra o país, quando, na realidade, estão se protegendo.

Quando se vê ex-guerrilheiros no Brasil sendo cultuados e beneficiados com polpudas recompensas, querendo ser heróis do nada. Ninguém obrigou a optarem pela guerrilha contra o país.

O governo Bolsonaro encontrou um país em frangalhos, sendo agravado pela pandemia do novo vírus chinês. Querem acabar com a economia para derrubarem o presidente, ao invés de apresentarem soluções

Conclui-se que a desordem e o atraso do país interessam ao projeto político de poder da turma do quanto pior melhor. O Brasil pode melhorar.

“Sem o esforço da busca é impossível a alegria do encontro.” (Rogerio Banague).

Isaac Carreiro Filho (em memória)
Titular do Coluna Patriota Isaac escreveu para o Jornal do Rebouças 160 textos no período de 2018 a 2021. Era Tenente-Coronel do Exército Brasileiro, bacharel em Ciências Militares pela AMAN, bacharel em Administração pela UFSM, especialista em Comunicações pela EsCOM, Mestre em Operações Militares pela EsAO, extensão em Política e Estratégia pela ADESG, Análise e Desenvolvimento de SI Gerenciais pelo ISPG, Curso Livre em Teologia pelo ITQ Água Verde, patriota da LDN-PR e palestrante. Faleceu aos 66 anos, vítima da Covid-19.