Quando a chef Manu Buffara conheceu, no fim de janeiro, o projeto Mesa Solidária da Prefeitura, ela não pensou duas vezes em se engajar à ação de apoio a pessoas em situação de rua. Como a união faz a força, Manu convidou outras colegas do mundo da gastronomia para ajudar no preparo das refeições gratuitas.

“Fui buscar apoio de profissionais com consciência social e sustentável e que, como eu, defendem que todos tenham acesso à alimentação com qualidade”, lembra a renomada cozinheira e dona do restaurante Manu.

Hoje, o grupo Mulheres do Bem, liderado por Manu, também reúne as chefs Gabriela Carvalho (Quintana), Eva dos Santos, Vânia Krekninski (Limoeiro), Claudia Krauspenhar (K.sa), Rosana Radecki (Girassol) e Flávia Rogoski (Bom Vivant), bem como a jornalista Jussara Voss e a nutricionista Juliana de Oliveira. Duas vezes por semana, às quartas e sextas-feiras, elas preparam 600 refeições que são entregues no jantar oferecido pelo Mesa Solidária no Restaurante Popular do Capanema.

O Mesa Solidária é uma ação conjunta de vários órgãos do município, como Secretaria Municipal de Segurança Alimentar e Nutricional (SMSAN), Fundação de Ação Social (FAS) e Secretaria Municipal de Defesa Social, que cedem espaços (restaurantes populares) e apoio logístico, com instituições religiosas, organizações não-governamentais (ONGs) e movimentos de apoio às pessoas em situação de rua, que adquirem ou ganham, preparam e servem os alimentos.

Cardápio balanceado

Manu conta que o cardápio muda a cada dia e cada integrante do grupo prepara parte da refeição na própria casa. A preocupação em oferecer refeições com equilíbrio de nutrientes está presente o tempo todo, afinal as pessoas em situação de rua atendidas, muitas vezes, somente contam com a comida oferecida pelo Mesa Solidária como refeição diária.

“Os pratos precisam ser ricos em nutrientes como carboidrato, proteínas, fibras, vitaminas e minerais”, conta ela.

O Mulheres do Bem também não abre mão de mostrar que mesmo a comida mais simples pode ganhar novos sabores com pequenos toques gourmet. Assim, as pessoas em situação de rua já saborearam no restaurante popular do Capanema, graças às chefs, pratos inusitados como moqueca de banana e palmito, frango marroquino, salmão marinado com páprica e até um hamburguer de beterraba com maionese de abacate.

“Não posso negar a minha emoção em participar do Mesa Solidária e propiciar que as pessoas em situação de rua tenham acesso a novos sabores”, afirma Manu.

Orgânicos

Todos os ingredientes usados nas refeições preparadas pelas chefs são adquiridos pelas próprias integrantes do grupo, que também aceita doações.

“A gente compra com os próprios recursos e já fez arrecadação entre amigos e parentes. Também não faltam empresas e pessoas que nos ajudam”, cita Vânia Krekninski. As embalagens das refeições, por exemplo, foram cedidas por uma empresa do interior do Paraná. O grupo arrecada ainda itens de higiene pessoal e gel que são distribuidos em kits periodicamente.

A partir deste sábado (23/5), elas também ganham uma ajuda a mais. Produtores da Feira de Orgânicos da Praça 19 de Dezembro, no Centro, passam a doar para o grupo hortifrutigranjeiros que perderam o padrão comercial (com algum tipo de “machucadinho”). Desde o início de maio, feirantes de Curitiba estão participando do Mesa Solidária.

Seixas na Matriz

Além da ação do grupo Mulheres do Bem, desde o fim de abril, o chef Eduardo Seixas faz o preparo de aproximadamente 300 marmitas, que são servidas, aos domingos, a pessoas em situação de rua no Restaurante Popular da Matriz. A iniciativa se tornou possível graças a uma parceria do cozinheiro com a empresa Floravita, que faz a doação dos insumos. As refeições são preparadas no restaurante do chef, o Espaço In Tenda.

“É um prazer enorme ver a alegria das pessoas ao receberem a comida. É a mesma refeição que preparo para meus clientes. No próximo domingo (24/5), vai ter macarrão bolonhesa e frango com polenta. Pretendo me sentar pra comer junto com eles”, conta animado.

A parceria surgiu de uma conversa entre o chef e a gerente comercial da Floravita, Fernanda Winiarski. A cada produto vendido, a empresa se compromete a doar 1 marmita. Já foram distribuídas 1,5 mil mil refeições. “Queremos que este número de doações atinja 3 mil até o início de junho”, afirma Fernanda.

Terceiro ponto

O secretário municipal de Segurança Alimentar e Nutricional, Luiz Gusi, afirma que o apoio dos chefs ao Mesa Solidária é um dos exemplos da mobilização da Prefeitura, instituições religiosas, organizações não-governamentais (ONGs) e movimentos para garantir segurança alimentar as pessoas em situação de rua, principalmente, neste momento de pandemia.

“Por determinação do prefeito Rafael Greca, estamos usando o alimento para dar mais dignidade a essa população, que também faz as refeições em espaços limpos e mais confortáveis”, reforça ele.

Gusi lembra que, no próximo dia 28 de maio, o prefeito Rafael Greca inaugurada o terceiro ponto do Mesa Solidária no Centro POP Plínio Tourinho, da FAS, na Praça General Plínio Tourinho, no Jardim Botânico. A área de refeições terá capacidade diária para atender até 500 pessoas (100 pessoas por rodízio).

Atualmente, as marmitas e lanches do programa já são servidos gratuitamente, no contraturno, nos restaurantes populares do Capanema (das 19h às 21h) e da Matriz (das 16h às 18h). O atendimento é feito por equipes da Prefeitura e voluntários das instituições parceiras.