Governador Beto Richa autoriza recursos de financiamento para obras urbanas em Curitiba e anuncia ações e investimentos da Copel na capital. Curitiba, 22/03/2016. Foto: Orlando Kissner/ANPr

A Copel vai retirar as torres e superpostes da Avenida Comendador Franco – avenida das Torres – que liga Curitiba a São José dos Pinhais e ao aeroporto Afonso Pena. A companhia vai substituir a atual linha de energia por uma nova linha subterrânea, com um investimento de R$ 157 milhões, que inclui também a construção de uma nova subestação.

A medida foi anunciada pelo governador Beto Richa e pelo presidente da Copel, Luiz Fernando Vianna, nesta terça-feira (22), no Palácio Iguaçu. O governador também autorizou a prefeitura de Curitiba a homologar licitação e firmar contrato para as obras de pavimentação na avenida Agamenon Magalhães, no bairro Capão da Imbuia. O investimento é de R$ 7,2 milhões, financiado pelo Governo do Estado.

“É uma alegria anunciar mais esse pacote de investimentos, bastante significativo e com obras aguardadas por Curitiba, como a da avenida Agamenon Magalhães”, disse o governador. Ele afirmou que a retirada das torres da avenida Comendador Franco permitirá intervenções urbanas, como construção de corredores exclusivos para o transporte público, pista de ciclovias, melhorando condições de paisagem urbana na extensão de oito quilômetros da avenida”, disse Richa.

Com o ajuste fiscal feito pelo governo estadual, a arrecadação aumentou e, com isso, também as transferências das receita de ICMS e IPVA. “Curitiba já recebeu R$ 132 milhões em transferências. O ajuste fiscal protegeu o Paraná e os municípios dessa grave crise financeira que atinge o País”, acrescentou.

Para o secretário de Obras Públicas de Curitiba, Sérgio Luiz Antoniasse, as duas ações representam mais uma parceria com o Governo do Estado e vão trazer mais conforto e mobilidade para a população. “As obras na Agamenon vão melhorar a condição de tráfego para quem vem de Pinhais e Piraquara”, disse ele.

PROJETOS URBANÍSTICOS – Na Avenida Comendador Franco, a Copel vai substituir a atual linha de energia de 69kV por uma nova linha subterrânea, de 230 kV. O investimento de R$ 157 milhões inclui também a construção de uma nova subestação. As obras devem demorar 18 meses.

A linha aérea hoje existente será desativada, com a retirada de 25 torres e 20 superpostes, que estão ao longo do canteiro central da avenida, nos bairros Jardim Botânico, Jardim das Américas, Guabirotuba e Uberaba, explicou o presidente da Copel, Luiz Fernando Vianna. De acordo com ele, as obras devem começar em breve, logo após a licença ambiental.

Outro benefício é a retirada das torres que hoje encobrem a visão do Viaduto Estaiado, na rua Francisco Heráclito dos Santos, que já se transformou em uma nova marca da cidade.

A nova linha subterrânea será construída ligando a nova Subestação Curitiba Centro, no Jardim Botânico, à Subestação Uberaba. A nova linha será num trecho de 8 km, a maior parte dele na Avenida Comendador Franco, desde a rua Dr. Dário Lopes dos Santos, no Jardim Botânico, até a rua Rosa Mehl.

“A linha subterrânea também melhora o fornecimento de energia elétrica para Curitiba e região, com mais segurança e confiabilidade”, diz o presidente da Copel.

PACOTE – A nova linha subterrânea foi leiloada pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), em novembro do ano passado, e arrematada pela Copel. O projeto faz parte de um pacote de R$ 580 milhões que serão investidos pela Copel referentes ao leilão do lote E.

Vianna explica que ao todo serão 230 quilômetros de linhas e a construção de três subestações, com prazo de execução de três anos.

Richa destacou que essa obra é muito aguardada. “Eu sei há quanto tempo a população pede pela retirada dos postes. Logo, assim que tivermos uma folga, vamos estudar também a retirada na avenida Visconde Guarapuava”, antecipou, ao lembrar que o governo vem cumprindo o compromisso de reforçar o papel das empresas públicas, como a Copel, no desenvolvimento do Estado. “A Copel já investiu R$ 5,5 bilhões nos últimos quatro anos, o maior valor da sua história. No ano passado foram R$ 2,36 bilhões e nesse ano serão mais R$ 3,1 bilhões”, acrescentou.

Box

PAVIMENTAÇÃO DE RUAS EM CURITIBA

O investimento de R$ 7,2 milhões que a prefeitura fará para pavimentar a avenida Agamenon Magalhães será com recursos da linha Sistema de Financiamento do Município (SFM), operacionalizada em parceria pela Fomento Paraná e Secretaria do Estado do Desenvolvimento Urbano.

De acordo com o secretário de Desenvolvimento Urbano, Ratinho Júnior, trata-se de uma obra complexa que vai beneficiar a população dos bairros Jardim Botânico, Tarumã e Capão da Imbuia. “As obras devem levar entre seis e oito meses”, disse ele.

As obras incluem drenagem, calçadas com rampas de acessibilidade, sinalização, iluminação. Segundo balanço da Secretaria de Desenvolvimento Urbano, desde janeiro de 2011 o governo do Estado liberou R$ 485 milhões para financiamento de obras, ações e serviços para Curitiba e região metropolitana. Somente para Curitiba foram repassados R$ 127 milhões pelo SFM.