Curitiba encerrou o primeiro quadrimestre do ano com a geração de 10.457 vagas de emprego com carteira assinada, atrás apenas de São Paulo (34.944). Foi o melhor resultado desde 2014 na capital paranaense.

Os dados são do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) do Ministério da Economia. O saldo representa a diferença entre admitidos e demitidos no período.

A capital foi responsável por 30% do total de empregos gerados no Paraná no período, de 33.997. Os dados do Caged também mostram que Curitiba foi a única capital do país com saldo positivo de vagas em todos os setores.

O prefeito Rafael Greca comemorou o resultado. “Curitiba está mostrando que consegue superar as adversidades e crescer”, disse Greca.

Para Julio Suzuki Junior, diretor de pesquisa do Instituto Paranaense de Desenvolvimento Econômico Social (Ipardes), o desempenho da capital é expressivo.

“O resultado mostra uma retomada robusta do emprego na cidade”, diz Suzuki Junior. “Nota-se que não é um movimento concentrado em um único setor. Inclusive atividades que passaram por dificuldades, como a construção civil, voltaram a contratar.”

Serviço campeão

O setor de serviços foi o que mais contratou no primeiro quadrimestre, com saldo positivo de 7.552 vagas. A construção civil ficou em segundo lugar, com 1.107 vagas; o comércio gerou 949; a indústria de transformação, 648 vagas; e a agropecuária criou 140 novos empregos.

Projetos de incentivo municipal a empresas inovadoras –  dentro do programa Vale do Pinhão –,  inauguração de novos empreendimentos comerciais na cidade e programas de capacitação de mão de obra e de apoio ao empreendedorismo são fatores que vem ajudando a melhorar o meragcado de trabalho na cidade.

De acordo com Cesario Ferreira Filho, diretor de relações do trabalho da Fundação de Ação Social (FAS), a Prefeitura adotou medidas de desburocratização para a emissão de alvarás de funcionamento para empreendimentos geradores de emprego.

“O município também reestruturou os programas de orientação e capacitação profissional, que são ofertadas a população por meio do Programa Liceus de Ofícios em parcerias firmadas com entidades ligadas a setores econômicos”, diz.

Recuperação

A recuperação do mercado de trabalho tem reflexo na oferta de vagas no sistema do Sistema Nacional de Emprego (SINE) no município. Houve um crescimento de 54% nos números do primeiro quadrimestre de 2019 em comparação ao mesmo período em 2018. Foram ofertadas 3.142 vagas no primeiro quadrimestre de 2019, contra 1.711 no mesmo período de 2018.

Beneficiado

Bruno Rosa de Almeida, de 38 anos, foi um dos que foi buscaram emprego no SINE. Saiu e lá com uma nova colocação. Depois de passar por problemas que o levaram a morar na rua, o emprego novo foi a chance de dar a volta por cima. Os mais de dez anos de experiência como chef de cozinha e as novas capacitações ajudaram Bruno a colocar a vida no caminho que ele desejava.

“Fui persistindo e consegui o emprego com carteira assinada que eu tanto queria”, comemora. Ele foi selecionado para trabalhar em um novo restaurante que abriu na cidade.

“Durante um mês eu fiz um curso no próprio restaurante antes de começar a trabalhar, me dediquei e estou muito feliz com a oportunidade. Agora é vida nova”, comemora.