Fadiga é o estado de se sentir muito cansado resultante de sono insuficiente, trabalho mental ou físico prolongado, ou longos períodos em uma situação de estresse ou ansiedade. A fadiga pode ser descrita como aguda ou crônica e a privação do sono costuma ser a causa mais comum. Os principais sinais e sintomas de fadiga são: Esfregar os olhos; balançar a cabeça; esquecer as instruções; olhos piscam frequentemente; bocejar; mexer-se e se contorcer no assento; não conversar com colegas de trabalho; incapacidade de resolver problemas de rotina do trabalho; irritabilidade; sonolência (incluindo lapsos de sono involuntários); incapacidade de se concentrar ou memorizar; falta de motivação; depressão; dores de cabeça.

Tarefas repetitivas ou enfadonhas podem intensificar a sensação de fadiga e aumentar os riscos de acidentes, como por exemplo, em um motorista privado de sono que dirige por horas em uma estrada com poucas curvas. As principais consequências da fadiga são: capacidade de tomada de decisão e para fazer um planejamento complexo reduzidas; habilidades de comunicação, produtividade, atenção e vigilância reduzidas; capacidade de lidar com o estresse no trabalho limitada; tempo de reação reduzido – em velocidade e pensamento; perda de memória ou capacidade de recuperar detalhes; incapacidade de permanecer acordado (por exemplo, adormecer enquanto operar máquinas ou dirigir veículo); maior tendência para assumir riscos; aumento de erros de julgamento; aumento do absenteísmo e da taxa de rotatividade; aumento dos custos médicos.

Como animais diurnos, os humanos evoluíram para ficar acordados e ativos durante o dia e dormindo à noite. Mas, atualmente,  há muitos competidores do sono, como mídias sociais, eletrônicos, estudos, trabalho, diversão, etc e as pessoas não mais dedicam as 7-9h de sono recomendadas. Embora cochilos não sejam substitutos de uma boa noite de sono, eles podem ser restauradores e ajudar a combater alguns dos efeitos de não dormir o suficiente à noite e muitas empresas já têm permitido que seus funcionários os façam no trabalho. Não existe um consenso, mas limitar o cochilo a não mais de 30-45 minutos ajuda, porque tempos mais longos vão te dificultar a acordar e você se sentirá sonolento (um fenômeno temporário descrito com inércia do sono). E é melhor evitar tirar cochilos depois das 15h, principalmente se você tiver dificuldade para iniciar o sono à noite, já que fazendo cochilos tardios, será mais difícil para você adormecer quando for para a cama. Outras dicas são manter ambientes de trabalho bem iluminados, alimentação balanceada, atividade física, horários de sono regulares e exames médicos em dia.

Dr. Fernando Mariano
Médico especialista em Otorrinolaringologia e Medicina do Sono. Medicina Universidade Federal do Paraná (UFPR). Residência Médica em Otorrinolaringologia no Hospital de Clínicas da UFPR. Fellowship em Cirurgia Plástica de Face no Instituto Paranaense de Otorrinolaringologia (IPO). Titulo de Especialista em Otorrinolaringologia e Cirurgia Cérvico-Facial pela Associação Médica Brasileira. Título de Especialista em Medicina do Sono pela Associação Médica Brasileira. Mestrado em Cirurgia pelo Hospital de Cllínicas da UFPR. Membro da International Surgical Sleep Society.