Cenas cotidianas carregadas de simbolismos de janelas, portas, maciços florais coloridos e referências de infância estão entre os elementos da narrativa poética apresentada nas obras da artista plástica curitibana Ania Bittencourt D’Angelis. Ambientada em uma sala do Espaço IMAP Cultural, a mostra foi aberta na manhã desta quarta-feira (27). Ao entrar na sala, o visitante tem a sensação de penetrar em uma sala de estar familiar, em que o belo do cotidiano – muitas vezes despercebido do olhar menos atento – é traduzido nas cenas retratadas pelas obras e ambientadas por composições florais vivas.

A palavra, que é outro ponto de atenção de Ania, também está presente por meio de mensagens deixadas por visitantes. “As cores, as luzes e sombras, os pequenos detalhes, sempre atraem meu olhar.” Ania pinta desde os 14 anos, com o privilégio de ter como orientadores mestres da arte paranaense como Luiz Carlos Andrade e Lima, Fernando Calderari, Maria de Lourdes (Tata) e Érico da Silva. Para a artista, cada um deles fez com que lhe despertasse um “novo olhar sobre as formas, as cores e a realidade”, o que ajudou a definir seu caminho profissional.

“Há cinco anos trabalho com o simbolismo das portas e janelas, na outra exposição também trabalhei o ícone da chave. A proposta é levar a pensar, que o trabalho possa despertar algum sentimento no observador”, explica a artista. Esta é a segunda vez que ela expõe no espaço do IMAP.

A cada trabalho, Ania busca o aperfeiçoamento de suas pinceladas, com obras figurativas em óleo sobre tela, na técnica que imortalizou Van Gogh, citado como uma de suas referências entre os grandes mestres da história da arte. Ania cursou Artes na Faculdade Tuiuti, atuou no Museu Oscar Niemeyer, entre 2003 e 2006 permaneceu em Toronto (Canadá) para aprimorar sua percepção artística e, de volta ao Brasil, em 2010, passou a ensinar a pintura a óleo. Deste então, vem participando de exposições em espaços culturais, centros e galerias de arte.

As obras permanecem em exposição até o próximo dia 17 e podem ser vistas pelo público de segunda a sexta-feira, das 9h às 12 horas e das 14h às 17h30. A mostra acontece no Edifício Delta, 10º. andar, na Torre C, localizado na Avenida João Gualberto.