© REUTERS/ David Gray

Os nadadores norte-americanos Ryan Lochte e James Feigen, que relataram terem sido assaltados no Rio de Janeiro, após voltar de uma festa na Zona Sul, tiveram seus passaportes apreendidos pela Justiça do Rio.

A proibição dos atletas de deixar o Brasil se deu por conta de uma incompatibilidade entre as versões dos nadadores sobre o suposto assalto. Imagens da câmera de segurança da Vila Olímpica revelaram que os atletas chegaram à Vila cerca de três horas depois de deixar a festa na Zona Sul e mostraram eles deixando pertences como carteiras, celulares e relógios ao passar por detectores de metal.

Além disso, a polícia do Rio infomou ter mudado de linha de investigação para averiguar com mais precisão o que os atletas fizeram durante a madrugada, visto que os depoimentos apresentaram contradições.

De acordo com a polícia, a linha de investigação pode passar de roubo para falsa comunicação de crime.

Após os nadadores terem relatado o suposto assalto a meios de comunicação americanos, os atletas foram convocados para prestar depoimento sobre o crime.