No caso venezuelano, não dá para tapar o sol com a peneira. […].

Enquanto o petróleo era lucrativo, o país adotou um sistema paternalista de ajuda á população, ao mesmo tempo em que fechou a imprensa, órgãos de comunicação e empresas que atuavam no país, que se evadiram.

Desde Chaves, acusavam-se os EUA, seu principal comprador de petróleo, de imperialista. Rapidamente uniu-se à Rússia, China e outros países totalitários como Cuba, Irã e Coreia do Norte.

Com uma inflação de 200.000% em 2019, a Venezuela teve uma crise de abastecimento, onde faltaram 80% dos produtos básicos; 74% da população perdeu oito quilos ou mais, redundando em 4 milhões de refugiados.

O país contabilizou vários golpes de estado: 1992 Chaves deu um golpe militar clássico; 2002 outro golpe, por meio das FFAA do país. A cocaína se tornou um instrumento de luta contra o imperialismo. […]. As FFAA venezuelanas passaram a ser sócias.

A destruição moral, cultural e institucional das FFAA, também levou à instabilidade. O sucateamento das fábricas, a síndrome PDVSA. Cresceu o poder dos coletivos, estado dentro do estado. […]. Eleições fraudulentas 2012, 2013. Em 2018 foram registrados 23.047 atos violentos na Venezuela, que se tornou o país mais violento da América Latina.

O livro “O Espectro”, de Leonardo Coutinho, fala como Hugo Chaves alimentou o narcotráfico, financiando o terrorismo, promovendo a desordem global. […].

Em Roraima o que se via eram venezuelanos famintos, sem trabalho e mulheres caindo na prostituição, por falta de opção melhor em seu país. Do drama vivido na ditadura venezuelana aqui encontraram uma esperança para mudar de vida.

“Iniciada em março de 2018, a Operação Acolhida completou dois anos de atuação e, 2020. A Força-Tarefa Logística Humanitária para o estado de Roraima foi inédita por ser a primeira missão de natureza humanitária em território nacional.

A Operação vem atuando em três pontos: acolhimento, abrigo e interiorização dos imigrantes venezuelanos.” (Revista Verde Oliva, Ano XLVII, nº 248, Dez 2019).

Em relação às ações para 2020, “A estratégia do Governo Federal é assegurar a continuidade e a expansão das ações de assistência humanitária e intensificar o Programa de Interiorização de imigrantes e refugiados que vieram ao Brasil.[…]. (https://www.gov.br/pt-br/noticias/justica-e-seguranca/2020/01/operacao-acolhida-integracao-e-recomeco-para-milhares-de-venezuelanos).

Por fim, é difícil entender que ainda existam partidos brasileiros que, além de apoiarem a ditadura venezuelana, que massacra a sua população, queriam implantar este regime no Brasil.

Isaac Carreiro Filho
Tenente-Coronel do Exército Brasileiro, bacharel em Ciências Militares pela AMAN, bacharel em Administração pela UFSM, especialista em Comunicações pela EsCOM, Mestre em Operações Militares pela EsAO, extensão em Política e Estratégia pela ADESG, Análise e Desenvolvimento de SI Gerenciais pelo ISPG, Curso Livre em Teologia pelo ITQ Água Verde, patriota da LDN-PR, colunista e palestrante.