De Formião, filósofo elegante,
Vereis como Aníbal escarnecia,
Quando das artes bélicas, diante
Dele, com larga voz tratava e lia.
A disciplina militar prestante
Não se aprende Senhor, na fantasia,
Sonhando, imaginando ou estudando,
Senão vendo, tratando e pelejando.

(Os Lusíadas, Canto X, Luís de Camões)     

Diante da insistência de que os capitães não entendem de economia e de administração, trago à baila o presente tema (acesse o programa “Os pingos nos is”, da Jovem Pan, disponível em jp.com.br/pingos, ao vivo, ou jp.com.br /pingadas).

Os Colégios Militares têm sido referência no ensino do país, participando do “Soletrando” do programa do Luciano Huck, da TV Globo, de Olimpíadas de Matemática e de outros eventos.

O ingresso na Escola Preparatória de Cadetes do Exército, Campinas, São Paulo, se dá mediante concurso público em todo o país, obedecendo ao que prescrevem as Instruções Gerais para Admissão e Matrícula. A etapa seguinte para o oficialato é o ingresso na AMAN.

Na Academia Militar das Agulhas Negras, Rezende, Rio de Janeiro, são ministradas disciplinas acadêmicas do Ensino Superior e disciplinas técnico-profissionais do campo militar.

O Exército, como instituição nacional permanente, preocupa-se com o preparo técnico-profissional de seus integrantes, sem se envolver diretamente com questões político-partidárias conjunturais. O capitão é por excelência um líder, estando submetido hierarquicamente ao comandante da Unidade e tecnicamente trabalhando em harmonia com o Estado-Maior, que presta assessoria ao comandante.

Desde cedo o oficial aprende a administrar o pessoal, material e finanças sob a sua responsabilidade e quando chega ao posto de capitão reúne experiência suficiente para dar prosseguimento às atividades de que é encarregado. Alguns são deslocados para compor o staff do quartel.

Depois de dez anos de serviço, o oficial de carreira, como capitão, pode ingressar na Escola de Aperfeiçoamento de Oficiais, Rio de Janeiro, RJ, nível Mestrado.

Pelas mãos dos oficiais passam milhares de cabos e soldados, centenas de subtenentes e sargentos, dezenas de outros oficiais, temporários ou de carreira. Pela credibilidade conquistada, os militares são considerados os queridinhos do Brasil por grande parte do povo brasileiro.

Titular do Coluna Patriota Isaac escreveu para o Jornal do Rebouças 160 textos no período de 2018 a 2021. Era Tenente-Coronel do Exército Brasileiro, bacharel em Ciências Militares pela AMAN, bacharel em Administração pela UFSM, especialista em Comunicações pela EsCOM, Mestre em Operações Militares pela EsAO, extensão em Política e Estratégia pela ADESG, Análise e Desenvolvimento de SI Gerenciais pelo ISPG, Curso Livre em Teologia pelo ITQ Água Verde, patriota da LDN-PR e palestrante. Faleceu aos 66 anos, vítima da Covid-19.