“O Prêmio Nobel é uma das mais prestigiadas premiações do mundo. Todos os anos, pessoas que fizeram pesquisas de grande valor para o bem do ser humano em diversas áreas, como Química, Física, Medicina, Literatura, Economia e Paz, são escolhidas e premiadas.

A vontade foi do inventor suco Alfred Nobel  que estabeleceu os prêmios em 1895. Entre 1901 e 2012, os prêmios Nobel foram laureados 555 vezes a 856 pessoas e organizações. Com os poucos que receberem mais de uma vez o Prêmio, o total vai para 835 indivíduos (791 homens e 44 mulheres) e 21 organizações…

O Prêmio Nobel da Paz é entregue em Oslo, Noruega, enquanto os outros prêmios são concedidos em Estocolmo, na Suécia. O Prêmio Nobel é amplamente considerado como o mais prestigioso prêmio disponível nos campos da literatura, medicina, física, química e paz (…).” (Texto adaptado de Wikipedia).

A escolha dos vencedores é feita por sugestão dos acadêmicos e intelectuais do mundo inteiro diretamente às entidades julgadoras. Cada categoria é avaliada por uma entidade específica. A Fundação Nobel é responsável por administrar e fiscalizar.

Desde o “Terra à vista” de Cabral até o “Corrupção à Vista” de Moro, nunca se viu um Prêmio Nobel sequer concedido a um brasileiro. A ignorância é um desrespeito a todo mundo, tanto que os compatriotas não aprenderam ainda que o povo perece por falta de conhecimento. Falta quem indica.

Por outro lado, parece que o País cisma em se nivelar por baixo, tentando massificar, dividir, socializar, politizar as questões, ao invés de olhar com bons olhos a meritocracia. Ao não se atacar devidamente a questão socioeconômica e cívica, dificilmente o País conseguirá alcançar os seus objetivos nacionais.

Um dos problemas brasileiros é achar que não pode conquistar nada, não é capaz disso e daquilo, ter baixa autoestima e pouca capacidade de auto realização.

FONTE: GODOY, 2009

Do que foi exposto, resta evidente que o primeiro Prêmio Nobel Brasileiro será uma questão de tempo. Outra sugestão, a quem interessar possa, seria a indicação ao Prêmio Nobel da Paz ao ex-juiz Sérgio Fernando Moro e à Força-Tarefa da Lava Jato pelo competente trabalho de combate à corrupção no Brasil que pode levar à tão sonhada paz social. Corrupto não deve ter vez.

Isaac Carreiro Filho
Tenente-Coronel do Exército Brasileiro, bacharel em Ciências Militares pela AMAN, bacharel em Administração pela UFSM, especialista em Comunicações pela EsCOM, Mestre em Operações Militares pela EsAO, extensão em Política e Estratégia pela ADESG, Análise e Desenvolvimento de SI Gerenciais pelo ISPG, Curso Livre em Teologia pelo ITQ Água Verde, patriota da LDN-PR, colunista e palestrante.